O papel das emoções na inclusão laboral de pessoas com deficiência

Autores

  • Marta Nogueira Universidad de Extremadura, Espanha; ESECS-IPLeiria, Portugal
  • Célia Sousa ESECS-IPLeiria,CRID,CICS.NOVA.IPLeiria, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.9.2021.129-134

Palavras-chave:

Deficiência, Emoções, Inclusão, Trabalho

Resumo

A inclusão laboral de pessoas com deficiência (PcD´s) é um dos pontos mais importantes para a sua inclusão na sociedade. Apesar da constante evolução na legislação, as pessoas com deficiência ainda não têm o mesmo acesso às oportunidades de trabalho que os seus colegas sem deficiência. É premente combater o estigma relacionado a esta população. Nesse sentido, este estudo contribuiu para o aprofundamento do conhecimento que as pessoas com deficiência (PcD´s) têm sobre as suas emoções no local de trabalho, bem como do seu processo de inclusão, trazendo sugestões de melhoria sobre esta questão social tão pertinente. Foram definidos os seguintes objetivos específicos: conhecer o grau de consciência que os trabalhadores com deficiência têm das suas emoções nas interações diárias no seu local de trabalho e, verificar em que medida a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência melhorou o processo de inclusão. Neste estudo, optou-se pela pesquisa qualitativa, com recurso à entrevista semiestruturada. A amostra foi constituída por 50 trabalhadores com deficiência, funcionários do Grupo Auchan Portugal. Os resultados mostraram que as PcD´s reconhecem as suas emoções quando interagem com os seus colegas de trabalho. No entanto, a maioria destas pessoas disfarça o desconforto sentido, não comunicando de forma clara que emoções sentiu. Além disso, verificou-se que, apesar da maioria das PcD´s se sentir incluída, sugere uma maior sensibilidade da entidade empregadora, trabalho adaptado à pessoa e à sua deficiência e mais acessibilidades no local de trabalho.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Marta Nogueira, & Célia Sousa. (2021). O papel das emoções na inclusão laboral de pessoas com deficiência. New Trends in Qualitative Research, 9, 129–134. https://doi.org/10.36367/ntqr.9.2021.129-134