Os impactos da Covid –19 nos sistemas de saúde e proteção social em regiões fronteiriças

Autores

  • Helenara Fagundes Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil
  • Vera Maria Ribeiro Nogueira Universidade Católica de Pelotas - RS, Brasil
  • Ineiva Terezinha Kreutz Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.9.2021.181-189

Palavras-chave:

Pandemia de Covid-19, Regiões Transfronteriças, Saúde, Proteção Social

Resumo

A proposta deste artigo é apresentar a proposta metodológica do projeto de Pesquisa “A covid-19 em regiões transfronteiriças: consequências e impactos na institucionalidade dos sistemas locais de saúde e proteção social”, que se alinha aos estudos sobre proteção social e saúde em fronteiras internacionais no Mercosul. No cenário atual de crise sanitária e econômica e suas consequências, tem como foco as alterações nos sistemas de saúde e proteção social causadas pela pandemia de covid-19 na região transfronteiriça e o impacto nas estruturas locais. Levando em conta os objetivos e as distinções entre os setores a serem estudados: saúde e proteção social (temporalidade, garantias jurídico-administrativas, reconhecimento público, aparato institucional), as estratégias metodológicas devem favorecer a identificação jurídico-formal do aparato de proteção social e a concretude das propostas de proteção quanto as demandas, serviços, acesso e acessibilidade. Para verificar essa recursividade entre políticas sociais e estrutura social vão ser avaliados os indicadores: jurídico-normativas, organizacionais e, técnico-operativas e fiscais.  Os dados serão obtidos por meio de pesquisa documental e entrevistas em profundidade com os gestores e informantes-chave. O campo empírico da pesquisa privilegiou os seguintes critérios: a tríplice fronteira e municípios de médio porte, municípios de pequeno porte, e com alta porosidade).  A análise das informações coletadas será fundamentada inicialmente nas referências teóricas referidas na problematização do projeto de pesquisa e complementadas posteriormente à medida em que se fizerem necessárias para ampliação do estudo. Espera-se, entre outras expectativas, que os resultados ampliem o entendimento da região fronteiriça nos seguintes aspectos: conhecimento do contexto fronteiriço entre o Brasil e os demais países do Mercosul a partir do impacto da pandemia atual; explicitação das diferenças de encaminhamentos entre os gestores dos municípios

Referências

Adelantado, J., Noguera, J.A. & Rambla, X. (2002). El marco de análisis: Las relaciones complejas entre Estructura social y Políticas sociales. In: Adelantado, José. (coord.). Cambios en el Estado del Bienestar: políticas sociales y desigualdades de España. Barcelona: Icaria Editorial: Universitat Autònoma de Barcelona, Servei de Publicacions. https://dialnet.unirioja.es/servlet/libro?codigo=1014

Bertaso, J. M. (2014). Cidadania translocal: tecendo possibilidades. Revista Novos Estudos Jurídicos, 19(3): 904-925. https://doi.org/10.14210/nej.v19n3.p904-925

Busse R., Wismar, M. & Berman, P.C. (2002). The European Union and Health Services. The Impact of the Single European Market on Member States. Amsterdam: IOS Press.

Carvalho, L. (2020). Curto-circuíto: o vírus e a volta do Estado. 1. ed. São Paulo: Todavia.

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. (2017). Institucionalidade social para a América Latina y Caribe. 2017. https://dds.cepal.org/bdips/

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. (7 de julio de 2020a). La respuesta a la crisis del COVID-19 requiere de un nuevo pacto social por un régimen de bienestar más inclusivo: Alicia Bárcena. https://www.cepal.org/es/comunicados/la-respuesta-la-crisis-covid-19-requiere-un-nuevo-pacto-social-un-regimen-bienestar-mas

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. (mayo 2020b). Informe sobre impacto económico en América Latina y el Caribe de la enfermedad por coronavirus (COVID-19). https://www.cepal.org/es/publicaciones/45602-informe-impacto-economico-america-latina-caribe-la-enfermedad-coronavirus-covid

Denzin, N. K. & Lincoln, Y. S. (2006). Introdução: A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In Denzin, N. K. & Lincoln, Y. S. (orgs.). Planejamento da pesquisa qualitativa – teorias e abordagens. 2ª ed., pp.15-42. Porto Alegre: Artmed.

Desiderá, W. A. N. & Penha, B. (2017). As regiões de fronteira como laboratório da integração regional no Mercosul. In Desiderá, W. A. N., Penha, B. & MORAES, R. F. (orgs.). O Mercosul e as regiões de fronteira. pp. 203-225. Brasília: IPEA.

Giovanella, L., Guimarães, L., Nogueira, V. M. R., Lobato, L.V.C. & Damacena, G. N. (2007). Saúde nas fronteiras: acesso e demandas de estrangeiros e brasileiros não residentes ao SUS nas cidades de fronteiras com países do do MERCOSUL na perspectiva dos secretários municipais de saúde. En Cadernos de Saúde Pública. [online]. 23(suppl 2): S251-S266. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007001400014.

Ianni, O. (2012). A construção da categoria. Revista HISTEDBR On-Line, 11(41e): 397–416. https://doi.org/10.20396/rho.v11i41e.8639917

Instituto Social do MERCOSUL. (2018). Políticas Sociais no MERCOSUL - Estrutura dos organismos públicos de ofertas de serviços sociais. Assunção, Paraguai. http://www.ismercosur.org/pt/cidadania-em-fronteira%E2%80%8B/

Pêgo, B., Moura, R., Nunes, M., Krüger, C., Moreira, P., Ferreira, G. & Nagamine, L. (2020). Pandemia e fronteiras brasileiras: análise da evolução da covid-19 e proposições. Nota técnica 16. Brasília: Ipea. https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=35600.

Pêgo, B. & Moura, R. (2017). O projeto fronteiras do Brasil no IPEA (dirur): objetivos, hipóteses e proposições – a oficina como produto inicial do projeto. In Pêgo, B., Moura, R., Krüger, C., Nunes, M. & Oliveira, S. (orgs.). Fronteiras do Brasil: diagnóstico e agenda de pesquisa para política pública, vol. 2, pp.15-21. Brasília: Ipea-MI. https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/170628_fronteiras_do_brasil_volume2.pdf

Januzzi, P. de M. (2002). Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. In Revista de Administração Pública, 36(1): 51-72. http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6427

Mercado Comum do Sul. (2011). MERCOSUR/CMC/DEC. Nº 12/11 - Plano Estratégico de Ação Social do Mercosul (PEAS). https://www.mercosur.int/documento/plano-estrategico-de-acao-social-do-mercosul-peas/

Minayo, M. C.de S. (2002). Ciencia, Técnica e Arte: o desafio da pesquisa social. In Minayo, M. C.de S. (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 21 ed., pp. 9-29. Petrópolis, Vozes.

O’Donnell, G. (1991). Democracia Delegativa? Revista Novos Estudos, São Paulo:CEBRAP, nº 31, pp. 25-40. https://uenf.br/cch/lesce/files/2013/08/Texto-2.pdf

Peixoto, A. B. (2017). Fronteira e Integração Regional. In Pêgo, B., Moura, R., Krüger, C., Nunes, M. & Oliveira, S. (orgs.). Fronteiras do Brasil: diagnóstico e agenda de pesquisa para política pública. vol, 2, pp.48-56. Brasília: Ipea-MI. https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/170628_fronteiras_do_brasil_volume2.pdf

Pérez Jiménez, R. & Nogueira, V. M. R. (2009). La construcción de los derechos sociales y los sistemas sanitarios: los desafíos de las fronteras. Revista. Katálysis, Florianópolis, 12(1): 50-58. https://doi.org/10.1590/S1414-49802009000100007

Preuss, L. T. (2007). O direito à saúde na fronteira: duas versões sobre o mesmo tema. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Florianópolis. http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/90418

Seibel, E.J. (2001). Políticas Sociais e a questão da debilidade institucional. Revista Katálysis, Florianópolis, (5): 23-33. https://doi.org/10.1590/%25x

Silva, M. G. da. (2006).O local e o global na atenção às necessidades de saúde dos brasiguaios: análise da intervenção profissional do assistente social em Foz do Iguaçu. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. Florianópolis. http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/88602

Silva, V. R.; Ugoski, D. R. & Dravanz, G. M. G. (2017). Negação dos direitos sócio assistenciais para transfronteiriços indocumentados: desafios para as cidades gêmeas. Revista Texto & Contexto, Porto Alegre, 16(1): 231-243. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2017.1.27121

Wolski, D. (22 junio 2020). El papel de las políticas sociales en tiempos de COVID-19. Programa de la Unión Europea EUROsociAL+. Región América Latina. https://eurosocial.eu/bitacora/el-papel-de-las-politicas-sociales-en-tiempos-de-covid-19/

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Helenara Fagundes, Vera Maria Ribeiro Nogueira, & Ineiva Terezinha Kreutz. (2021). Os impactos da Covid –19 nos sistemas de saúde e proteção social em regiões fronteiriças. New Trends in Qualitative Research, 9, 181–189. https://doi.org/10.36367/ntqr.9.2021.181-189