Pragmatismo, Halloween, Comitê de Aula, Ciclismo e Covid-19: Tudo Junto e Misturado!

Autores

  • Vanessa Regina Ostrowski Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade do Estado de Santa Catarina, Brasil
  • Luiz Fernando Nieuwenhoff Schefer Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil
  • Marcia Strapazzon Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil
  • Monica Cristina Rovaris Departamento de Administração, Universidade Federal de Sergipe, Brasil
  • Ruan Carlos dos Santos Centro Universitário UNIAVAN, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.9.2021.228-238

Palavras-chave:

Aulas EAD, Pragmatismo, Sociologia Pragmática, COVID-19

Resumo

Este caso descreve uma experiência de apresentação de um trabalho sobre pragmatismo e sociologia pragmática, na modalidade aula EAD e de forma não presencial, realizada por alunos de doutorado, em programa de pós-graduação em Florianópolis, em tempos de pandemia. A disciplina de Epistemologia da Ciência da Administração teve carga horária de 60 horas, e foi realizada entre os meses de agosto a dezembro de 2020. Procurou ainda, discutir os aprendizados decorrentes de tal experiência ao discutir o pragmatismo e a sociologia pragmática; a dialética e o paradigma crítico e círculo das matrizes epistemológicas de Paula (2015); bem como as possibilidades de utilização de tais aprendizados, em experiências futuras, podendo ser utilizado nas disciplinas de epistemologia dos estudos organizacionais; pesquisa avançada; pesquisa qualitativa; entre outras. O levantamento foi realizado por meio de observação participante e entrevistas. Também foram utilizados vídeos, notícias publicadas na imprensa local, bem como os textos da disciplina de Epistemologia da Ciência da Administração.

Referências

Andion, C., Ronconi, L., Moraes, R. L., Ribeiro Gonsalves, A. K., Serafim, D., & Brum, L. (2017). Civil society and social innovation in the public sphere: a pragmatic perspective. RAP: Revista Brasileira de Administração Pública, 51(3).

Barthe, Y.; Rémy, C.; Trom, D.; Linhardt, D.; De Blic, D.; Heurtin, J. P.; Lagneau, É.; De Bellaing, C. M.; Lemieux, C.(2016). Sociologia Pragmática. Guia Do Usuário. Sociologias, Porto Alegre, 18(41), pp. 84-129.

Berk, G., Deutschmann, C., Quack, S., Schneiberg, M., & Ansell, C. (2012). On Christopher K. Ansell Pragmatist Democracy: Evolutionary Learning as Public Philosophy. Oxford/New York, NY, Oxford University Press, 2011. Socio-Economic Review, 10(3), 581–604.

Boltansky, L; Thévenot, L. (1999). The sociology of critical capacity European Journal of Social Theory 2(3), 1999, p.359–377.

Brasil. Painel CoronaVírus. 2020. Recuperado em 18 Jan. 2021 de https://covid.saude.gov.br/.

Burrell, G.; Morgan, G. (1979). Sociological paradigms and the organisational analysis. London: Ashgate, (Capítulos 8 a 11).

Caitano, D.; Serva, M. (2020, nov) No limite da razão: o deliberar e a phrónesis no trabalho prisional. Cad. EBAPE.BR, v. 18, Edição Especial.

Caitano, D. (2016). As situações críticas de gestão no trabalho dos agentes no complexo penitenciário do estado de Santa Catarina (COPE) e a tensão no deliberar. Tese Doutorado - UFSC, Florianópolis, Brasil.

Cefai, D. Pasquier, Dominique. “Les Sens du public”. In: (Orgs.). Les Sens du public: publics politiques, publics médiatiques. Paris: PUF, 2003. pp. 13-59.

Cefaï, Daniel; Quéré, Louis. “Naturalité et socialité du Self et de l’esprit”. In: Mead, George. L’Esprit, le soi et la société.Paris: PUF, 2006. pp. 3-90.

Cefaï, D. (2007). Porquoi se mobilise-t-on? Les théories de l’action collective. Paris: Éditions La Découverte.

Cefai, D. (2013) ¿Qué es la etnografía? Debates contemporáneos. Arraigamientos, operaciones y experiencias del trabajo de campo. Primera parte. Persona y sociedad, 27(1), pp. 101-119.

Cefai, D. (2013) ¿Qué es la etnografía? Segunda parte. Inscripciones, extensiones y recepciones del trabajo de campo. Persona Y Sociedad, 27(3), pp. 11-32, 2013.

Cefai, D. (2010). Provações corporais: uma etnografia fenomenológica do atendimento de urgência aos moradores de rua. Lua Nova, 79(1), pp. 71-110.

Cefai, D. (2017) Públicos, problemas públicos, arenas públicas. O que nos ensina o pragmatismo (Parte II). Novos estudos. CEBRAP, 36(2), p. 129-142.

Cefai, D. (2017) Públicos, problemas públicos, arenas públicas. O que nos ensina o pragmatismo (Parte I). Novos estudos. CEBRAP, 36(1), pp. 187-213.

Chateauraynaud, F. (2017). A CAPTURA COMO EXPERIÊNCIA: Investigações pragmáticas e teorias do poder. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 32(95), 01. https://doi.org/10.17666/329504/2017

Cometti, Jean-P. (2010). Qu’est-ce que le pragmatisme? Gallimard: Paris, p. 10-59.

Corrêa, D. (2014). Do Problema do social ao social como problema: elementos para uma leitura da sociologia pragmática francesa. Revista de Ciências Sociais, n. 40, Abril de 2014, pp. 35-62

Dewey, J.(1938). Investigação Social. In: DEWEY, J. Lógica. Teoria de la investigación. Mexico: Fondo de Cultura Economica.

Dewey, J. (1939). Democracia criativa: a tarefa diante de nós. Democracia Cooperativa: Escritos Políticos de John Dewey 1927-1939), 135–152.

Dewey, J. (1974) Experiência e natureza; Lógica: a teoria da investigação; A arte como experiência; Vida e educação; Teoria da vida moral. São Paulo: Abril.

Dewey, J. (1998). The essential Dewey: Pragmatism, education, democracy (Vol. 1). Indiana University Press.

Frega, R. (2019). Pragmatism and the Wide View of Democracy. In Pragmatism and the Wide View of Democracy. https://doi.org/10.1007/978-3-030-18561-9

GIFE. 11º Congresso do GIFE: Fronteiras da ação coletiva. Recuperado em https://congressogife.org.br/2020/palestra/endowments-e-fundos-patrimoniais. de 20 Dez. 2020.

Koyré, A. (2011). As origens da ciência moderna: uma nova interpretação. In: KOYRÉ, A. Estudos de História do Pensamento Científico. Rio de janeiro: Forense Universitária.

Latour, B. (2012). Reagregando o Social. Uma Introdução à Teoria do Ator-Rede. Salvador: EDUFBA.

Magalhães, T.; Andion, C.; Alperstedt, G. (2020) Laboratórios vivos de inovação social e ação pública: um enfoque analítico e um caminho metodológico baseado no pragmatismo. Cad. EBAPE.BR, v. 18, Edição Especial, Rio de Janeiro.

Paula, A. P.(2015) Repensando os estudos organizacionais: para uma nova teoria do conhecimento. São Paulo: Editora FGV.

Peirce, C. (1983) Escritos coligidos. Tradução de Armando Mora D?Oliveira e Sérgio Pomerangblum. 3ª ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983, p. 8. (Coleção Os Pensadores).

Timmermans, S.; Tavory, I. (2012) Theory Construction in Qualitative Research: From Grounded Theory to Abductive Analysis. Sociological Theory, 30(3), pp. 167-186.

UJH. Universidade Johns Hopkins. New Cases of Covid-19 in World Countries. 2020. Recuperado em https://coronavirus.jhu.edu/data/new-cases de 20 Dez. 2020.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Vanessa Regina Ostrowski, Luiz Fernando Nieuwenhoff Schefer, Marcia Strapazzon, Monica Cristina Rovaris, & Ruan Carlos dos Santos. (2021). Pragmatismo, Halloween, Comitê de Aula, Ciclismo e Covid-19: Tudo Junto e Misturado!. New Trends in Qualitative Research, 9, 228–238. https://doi.org/10.36367/ntqr.9.2021.228-238