Atuação do enfermeiro no gerenciamento dos leitos hospitalares na percepção dos profissionais de enfermagem

Autores

  • Carla Souza Fogaça Universidade Católica de Brasília, Brasil
  • Lays Adriane Sampaio Braga Universidade Católica de Brasília, Brasil
  • Elisabete Mesquita Peres de Carvalho Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde, Brasil
  • Leila Bernarda Donato Göttems Universidade Católica de Brasília - Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.528-537

Palavras-chave:

Gestão em saúde, Leitos hospitalares, Pesquisa Qualitativa

Resumo

Os enfermeiros desempenham um papel importante no gerenciamento em tempo real dos leitos hospitalares disponíveis, de forma a promover seu uso eficiente. Objetivo: analisar a percepção dos enfermeiros sobre o processo de trabalho na gestão de leitos. Método: estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa. Participaram 17 enfermeiros que atuam na gestão de leitos e na assistência, identificados por meio da técnica de Bola de Neve em Redes Sociais Virtuais, com envio eletrônico do instrumento de coleta de dados, no período de 22 de agosto a 21 de outubro de 2020. A análise dos dados foi feita conforme Bardin: pré-análise, exploração do material e tratamento dos resultados, inferência e interpretação. Resultados: foi possível encontrar três núcleos de sentido que foram divididos em três categorias:1- perfil da equipe da Gestão de Leitos segundo a qualificação e experiência profissional; 2- atuação do enfermeiro na Gestão de Leitos; e 3 - dificuldades e facilidades nos processos de trabalho da Gestão de Leitos. Conclusão: foram observadas potencialidades e dificuldades na atuação do enfermeiro na gestão de leitos, configurando-se como uma área em expansão que requer regulamentação e aperfeiçoamento.

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Edições 70.

Borges, F., Bernardino, E., Stegani, M. M., & Tonini, N. S. (2020). Atuação de enfermeiros na gestão de leitos de um hospital de ensino. Revista Brasileira de Enfermagem, 73(4), 1-8.

Brasil. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 26, 9273-9275.

Brasil. Ministério da Saúde. (2013). Portaria Nº 3.390, de 30 de dezembro de 2013. Institui a Política Nacional de Atenção Hospitalar (PNHOSP) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), estabelecendo-se as diretrizes para a organização do componente hospitalar da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Brasília: Ministério da Saúde. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 253, Seção 1, 54-56.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência. (2017). Manual de implantação e implementação: Núcleo Interno de Regulação para Hospitais Gerais e Especializados. Ministério da Saúde.

Castro Machado, D., & Machado, A. C. A. (2019). A otimização do processo de gerenciamento de leitos e alta hospitalar. Saúde Coletiva (Barueri), 9(50), 1866-1872.

Cavalcante, R. B., Ferreira, M. N., & Silva, P.C. (2011). Sistemas de Informação em Saúde: Possibilidades e desafios. Revista de Enfermagem da UFSM, 1(2), 290-299.

Costa, B. R. L. (2018). Bola de neve virtual: O uso das redes sociais virtuais no processo de coleta de dados de uma pesquisa científica. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, 7(1), p. 15-37.

Creswell, J. W. (2014). Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa: Escolhendo entre Cinco Abordagens. Penso.

Fernandes, M. N. F., Esteves, R. B., Teixeira, C. A. B., & Gherardi-Donato, E. C. S. (2018). O presente e o futuro da Enfermagem no Admirável Mundo Novo. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 52, e03356.

Flick, U. (2009). Qualidade na pesquisa qualitativa. Artmed.

Fundação Oswaldo Cruz. (2019). Boletim Informativo do Projeto Avaliação do Desempenho do Sistema de Saúde (PROADESS), 4, fev./2019. Monitoramento da assistência hospitalar no Brasil (2009-2017).

Grala, A. P. D. P., Araújo, A. C., & Guerreiro, P. O. (2020). Taxa de ocupação e média de permanência em quatro hospitais de um município sul-brasileiro. J. Nurs. Health, 20103001-20103001.

Minayo, M. C. D. S. (2012). Análise qualitativa: Teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, 17, 621-626.

Miranda, G. M. D., Mendes, A. C. G., & Silva, A. L. A. (2017). O desafio da organização do Sistema Único de Saúde universal e resolutivo no pacto federativo brasileiro. Saúde e Sociedade, 26, 329-335.

Oliveira, B. P., & Bittencourt, R. J. (2020). Avaliação por triangulação de métodos de um núcleo de gestão de leitos em um hospital público do distrito federal. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 9(3), 406-432.

Raffa, C., Malik, A. M., & Pinochet, L. H. C. (2017). O desafio de mapear variáveis na gestão de leitos em organizações hospitalares privadas. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 6(2), 124-141.

Silva, M. C. N., & Machado, M. H. (2020). Sistema de Saúde e Trabalho: Desafios para a Enfermagem no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 25(1), 7-13.

Soares, V. S. (2017). Análise dos Núcleos Internos de Regulação hospitalares de uma capital. Einstein (São Paulo), 15(3), 339-343.

Wasgen, A. M., da Silva Terres, M., & Machado, B. F. H. (2019). O impacto do gerenciamento de leitos na gestão hospitalar. Revista Hospitalidade, 16(2), 31-49.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Carla Souza Fogaça, Lays Adriane Sampaio Braga, Elisabete Mesquita Peres de Carvalho, & Leila Bernarda Donato Göttems. (2021). Atuação do enfermeiro no gerenciamento dos leitos hospitalares na percepção dos profissionais de enfermagem. New Trends in Qualitative Research, 8, 528–537. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.528-537