Pré-natal de Risco Habitual e Alto Risco: Estudo Qualitativo sobre Percepções de Mulheres

Autores

  • Marcia Regina Cangiani Fabbro Departamento de Enfermagem. Programa de Pós-Gradução em Enfermagem. Universidade Federal de São Carlos, Brasil
  • Jamile Claro de Castro Bussadori Departamento de Enfermagem. Programa de Pós-Gradução em Enfermagem. Universidade Federal de São Carlos, Brasil
  • Monika Wernet Departamento de Enfermagem. Programa de Pós-Gradução em Enfermagem. Universidade Federal de São Carlos, Brasil
  • Bruna Felisberto de Souza Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Universidade Federal de São Carlos, Brasil
  • Andrea dos Reis Fermiano Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Universidade Federal de São Carlos, Brasil
  • Maria Aparecida Gracélia Sousa Programa de Pós-Gradução em Enfermagem. Universidade Federal de São Carlos, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.538-546

Palavras-chave:

Cuidado Pré-natal, Gestantes, Atenção Primária à Saúde, Atenção Secundária à Saúde, Lacunas da Prática Profissional

Resumo

A avaliação de um serviço de pré-natal sob a ótica de gestantes é um poderoso instrumento que possibilita adensar conhecimentos e contribuir com transformações nas práticas de saúde, qualificando-as. Objetivo: Analisar percepções de mulheres, gestantes de risco habitual e puérperas que gestaram sob o diagnóstico de alto risco, acerca da atenção pré-natal recebida. Método: Estudo qualitativo, desenvolvido em 2018 e 2019, junto a 30 gestantes de risco habitual e 7 puérperas de alto risco inseridas na atenção pré-natal de cidade do interior paulista. A obtenção dos dados ocorreu a partir de entrevista semiestruturada em encontro único. Os referenciais do Interacionismo Simbólico, quadro conceitual de experiência positiva na gestação e Análise Temática sustentaram o estudo. Resultados: O pré-natal foi vivenciado sob um contexto interacional pouco acolhedor e até desrespeitoso, o que imprimiu limitações à autonomia para questões da gestação, parto e nascimento e para o estabelecimento do apoio social, o que dificultou o empoderamento pessoal das mulheres para enfrentar as situações adversas da gestação e parto. Duas categorias temáticas detalham os achados: “Interações com profissionais”, “Entraves no apoio informacional para gestação, parto e nascimento”. Conclusão: A atenção pré-natal esteve descrita e centrada em clínica biomédica, com insuficiências relacionais entre profissionais e mulheres e de pouco alcance às singularidades, em especial no âmbito informacional, com escassez de abordagem do parto no pré-natal. Infere-se que a pesquisa qualitativa, sobretudo a estratégia de entrevista, imprime um meio de valorar o diálogo horizontal e é recurso que promove interações subjetivas genuínas.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Marcia Regina Cangiani Fabbro, Jamile Claro de Castro Bussadori, Monika Wernet, Bruna Felisberto de Souza, Andrea dos Reis Fermiano, & Maria Aparecida Gracélia Sousa. (2021). Pré-natal de Risco Habitual e Alto Risco: Estudo Qualitativo sobre Percepções de Mulheres . New Trends in Qualitative Research, 8, 538–546. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.538-546