A Cultura de Segurança em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas

Autores

  • José Resende Unidade de Ensino, Formação e Investigação da Saúde Militar, Lisboa, Portugal
  • Graça Quaresma Innovation and Development Centre of Lisbon (CIDNUR). Nursing School of Lisbon. Lisbon. Portugal. Centro Hospitalar e Universitário de Lisboa Central, Lisboa, Portugal
  • Pedro Lucas Nursing Research, Innovation and Development Centre of Lisbon (CIDNUR). Nursing School of Lisbon. Lisbon. Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.663-675

Palavras-chave:

Casa de saúde, Segurança do doente, Cuidadores, Gestão da Segurança, Enfermagem

Resumo

Introdução: Desde a sua génese que a enfermagem valoriza a segurança do paciente. No entanto, a sua importância teve um grande impulso com o relatório do Institute of Medicine “To Err is Human”, no ano 1999. A cultura de segurança do paciente em estruturas residenciais para pessoas idosas (ERPI), ainda pouco estudada, merece ser desenvolvida com vista à melhoria da qualidade dos cuidados; Objetivo: Analisar a evidência científica sobre a cultura de segurança do paciente nos lares de idosos; Critérios de inclusão / Métodos: Participantes: Cuidadores nos lares de idosos. Conceito: Cultura de Segurança do Paciente. Contexto: ERPI; Estratégia de pesquisa: Revisão integrativa da literatura, pesquisa de estudos através da CINHAL e MEDLINE e com recurso ao Google Scholar e repositórios de dissertações. Complemento de pesquisa nas referências dos estudos integralmente analisados. Definiu-se o período temporal entre 2015 e 2020 e a inclusão de artigos com texto completo; Resultados: Selecionaram-se 12 artigos referentes a estudos sobre a cultura de segurança do paciente de diferentes realidades e de diferentes países; Discussão: Os colaboradores das ERPI têm uma apreciação geral da segurança do paciente positiva. A cultura de segurança do paciente tem uma correlação com a qualidade dos cuidados prestados. Existem áreas transversalmente deficitárias nos lares de idosos, relacionadas com os recursos humanos e com a notificação de eventos adversos. Os gestores das estruturas para pessoas idosas revelam perceção geral da segurança dos residentes mais favorável que os colaboradores mais próximos dos cuidados; Conclusões: A evidência científica quanto à cultura de segurança do paciente nas ERPI é escassa em Portugal. A complexidade da população das ERPI, a influência multiprofissional e os défices estruturais em áreas importantes como a dos recursos humanos, remetem para a necessidade de novos estudos, principalmente qualitativos, e para um conjunto de intervenções emergentes que conduzam à melhoria da cultura de segurança do paciente e da qualidade dos cuidados prestados nestas estruturas.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

José Resende, Graça Quaresma, & Pedro Lucas. (2021). A Cultura de Segurança em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas. New Trends in Qualitative Research, 8, 663–675. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.663-675