Perceção de enfermeiros portugueses sobre a tomada de decisão contracetiva de mulheres após aborto voluntário: Contributo de um grupo focal

Autores

  • Sara Palma Hospital Garcia de Orta, Almada. Portugal - Escola Superior de Enfermagem de Lisboa,Portugal
  • Maria Helena Presado Escola Superior de Enfermagem de Lisboa - Centro de Investigação, Inovação e Desenvolvimento em Enfermagem de Lisboa, Portugal
  • Diogo Ayres-de-Campos Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa - Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.707-714

Palavras-chave:

Tomada de Decisão, Contraceção, Cuidados de Enfermagem, Interrupção Voluntária da Gravidez.

Resumo

Estima-se que a nível mundial cerca de metade das gravidezes não são planeadas e estão relacionadas com a não utilização, falha, uso incorreto ou descontinuação de métodos contracetivos. Os enfermeiros são agentes importantes de promoção de saúde, onde se inclui o aconselhamento contracetivo. Objetivos: Compreender a perceção de enfermeiros, sobre os aspetos que promovem a tomada de decisão por um método contracetivo por parte de mulheres após a Interrupção voluntária de gravidez. Métodos: Estudo descritivo com abordagem qualitativa recorrendo a um grupo focal. Os critérios de inclusão dos participantes foram: enfermeiros especialistas em saúde materna e obstétrica, realizarem aconselhamento contracetivo, e desejarem participar no estudo. O grupo focal foi realizado com cinco enfermeiros que participam na consulta de interrupção voluntária de gravidez numa unidade hospitalar da região de Lisboa e Vale do Tejo, em agosto de 2020. Foi efetuada a análise de conteúdo dos discursos, relativamente à tomada de decisão contracetiva, segundo a metodologia defendida por Bardin, com recurso ao software WebQdA®. Resultados: Os enfermeiros apontam os aspetos socioculturais, estratos económicos mais desfavorecidos, a idade, a baixa literacia geral e em saúde como os principais fatores condicionantes na escolha dos métodos contracetivos. Conclusões: A compreensão dos fatores que conduzem às escolhas contracetivas das mulheres pode alavancar em intervenções promotoras da saúde sexual e reprodutiva.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Sara Palma, Maria Helena Presado, & Diogo Ayres-de-Campos. (2021). Perceção de enfermeiros portugueses sobre a tomada de decisão contracetiva de mulheres após aborto voluntário: Contributo de um grupo focal . New Trends in Qualitative Research, 8, 707–714. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.707-714