Vivências de exclusão na academia: Desafios à interculturalidade

Autores

  • Emília Coutinho Health Sciences Research Unit: Nursing (UICISA: E) | IPV, Polytechnic Institute of Viseu, Escola Superior de Saúde Portugal
  • Adriana Pinto Oliveira Enfermeiros portugueses, Portugal
  • Carolina Marques Reis Enfermeiros portugueses, Portugal
  • Inês Raquel Cabral Oliveira Enfermeiros portugueses, Portugal
  • Leonardo de Almeida Maltez Enfermeiros portugueses, Portugal
  • Stefanie Marlene Pereira Osório Enfermeiros portugueses, Portugal
  • Vitória Parreira Escola Superior de Enfermagem do Porto, Portugal
  • Paula Nelas Health Sciences Research Unit: Nursing (UICISA: E) | IPV, Polytechnic Institute of Viseu, Escola Superior de Saúde Portugal
  • Cláudia Chaves Politécnico de Viseu, Viseu, Portugal
  • João Duarte Health Sciences Research Unit: Nursing (UICISA: E) | IPV, Polytechnic Institute of Viseu, Escola Superior de Saúde Portugal
  • Sandra Antunes Politécnico de Viseu, Viseu, Portugal
  • Paula Santos Politécnico de Viseu, Viseu, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.4.2020.391-405

Palavras-chave:

Sentimentos; Academia; Exclusão; Barreiras; Interculturalidade

Resumo

Introdução Relatos de vivências de exclusão académica apresentam-se como desafios às instituições de ensino superior (IES) na sua capacidade de desenvolverem, mas também de aplicarem políticas promotoras de interculturalidade; Objetivos Conhecer as práticas institucionais interpretadas como barreiras à inclusão e desafios à interculturalidade; e desocultar os sentimentos vividos pela comunidade académica em contextos experienciados que considerem de exclusão; Métodos Estudo qualitativo, fenomenológico-hermenêutico com recurso à entrevista fenomenológica a trinta membros da comunidade académica  (estudantes, docentes e não docentes) de uma IES de Portugal, de abril a julho de 2019, com suporte a análise qualitativa de dados apoiada pelo Nvivo12. Este trabalho insere-se num projeto mais alargado intitulado “Práticas inclusivas no Ensino Superior: O desafio de construir comunidade”, autorizado pela Comissão de Ética da Instituição envolvida; Resultados Apresentam-se as categorias “Barreiras à inclusão na instituição” e “Sentimentos vivenciados em experiências de exclusão”. As barreiras à inclusão na instituição mais referenciadas foram barreiras arquitetónicas e desunião hierárquica na instituição. No que concerne aos sentimentos vivenciados em experiências de exclusão, os participantes referenciaram essencialmente o sentir-se desvalorizado, a solidão e a tristeza; Conclusões. As barreiras arquitetónicas da instituição, o sentir-se desvalorizado, a solidão e a tristeza são os principais desafios institucionais à inclusão e interculturalidade.

Referências

Alvino-Borba, A., & Mata-Lima, H. (2011). Exclusão e inclusão social nas sociedades modernas: um olhar sobre a situação em Portugal e na União Europeia. Serv. Soc. Soc., São Paulo(106), 219-240.

Amado, J. (Coord). (2014). Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra.

Ciantelli, A.P.C., & Leite, L.P. (2016). Ações Exercidas pelos Núcleos de Acessibilidade nas Universidades Federais Brasileiras. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 22, 3, 413-428

Costa, D. (2019). Diversidade Cultural na Universidade em Portugal: Tendências e Desafios. In: Gonçalves, S., & Costa, J.J. (Coord.). Diversidade no Ensino Superior (pp. 11-36). Coimbra: Coleção Estratégias de Ensino e Sucesso Académico: Boas Práticas no Ensino Superior. Em https://www.cinep.ipc.pt/attachments/article/186/-%20Diversidade%20no%20ensino%20superior%202019%20v23%20ONLINE+.pdf

Cruz, N. (2018). Exclusão Social. Em https://querobolsa.com.br/enem/sociologia/exclusao-social

Dangis, G. H., e Laoyan, M. (2018). The Influence of Multiculturalism within Higher Education: Nursing. (Degree Programme in Nursing Bachelor of Health Care), Arcada University of Applied Sciences, Helsinque.

Dias Sobrinho, J. (2010). Democratização, qualidade e crise da educação superior: faces da exclusão e limites da inclusão. Educação & Sociedade, 31, 1223-1245. Em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302010000400010&nrm=iso

Glenda Helen Dangis, Meriam Laoyan 2018 ver pdf https://www.theseus.fi/handle/10024/147763

Gregersen-Hermans, J. (2017). Intercultural Competence Development in Higher Education. Em https://www.researchgate.net/publication/313388295_Intercultural_Competence_Dev elopment_in_Higher_Education/download

Leiva, J. & Bracons, H. (2019). La educación intercultural en la formación inicial del profesorado: la voz de los docentes universitarios. In A. M. Costa e Silva, I. Macedo & S. Cunha (Eds.), Livro de atas do II Congresso Internacional de Mediação Social: a Europa como espaço de diálogo intercultural e de mediação (pp. 28-45). Braga: CECS.

Moreira, L., Bolsanello, M., e Seger, R. (2011). Ingresso e permanência na Universidade: alunos com deficiências em foco. Educar em Revista, 0.

Oliveira, E.S.F de, Barros, N.F. de, & Souza, D.C.D.B.N de (2017). Metodologias qualitativas em diferentes cenários: saúde e educação. Goiânia: Gráfica UFG.

Pereira, P. S. (2015). Fenomenologia da prática: investigação em enfermagem da experiência vivida. Rev enferm UFPE on line Recife, 9(10), 9608-9615. doi:10.5205/reuol.7944-69460-1-SM.0910201525

Poker, R. B., Valentim, F. O. D., & Garla, I. A. (2018). Inclusão no ensino superior: a percepção de docentes de uma instituição pública do interior do estado de São Paulo. Psicologia Escolar e Educacional, 22, 127-134. Em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572018000400127&nrm=iso

Rodrigues, D. (2018). Aprofundar a inclusão com o que se sabe. Jornal O Publico 18 de Abril de 2018, 6:48. Acesso em, 2020, em https://www.publico.pt/2018/04/18/sociedade/opiniao/aprofundar-a-inclusao-com-o-que-se-sabe-1810760

Rodrigues, L. O. (2020). Exclusão social. Em https://alunosonline.uol.com.br/sociologia/exclusao-social.html

Santos, E., Gonçalves, M., Ramos, I., Castro, L., & Lomeo, R. (2015). Inclusão no Ensino Superior: Perceções dos estudantes com Necessidades Educativas Especiais sobre o ingresso à universidade. Revista Portuguesa de Educação, 28(2), 251-270.

Spradley, J. (1980). Participant Observation. New York: Holt Rinehart and Winston.

Tomelin, K.N., Dias, A.P.L., Sanchez, M., Peres, J., & Carvalho, S. (2018). Educação inclusiva no ensino superior: desafios e experiências de um núcleo de apoio discente e docentes. Rev. Psicopedagogia; 35(106), 94-103.

Van Manen, M. (2007). Phenomenology of Practice. Phenomenology & Practice, 1(1), 11 - 30.

Van Manen, M. (2014). Phenomenology of Practice: Meaning Giving Methods in Phenomenological Research and Writing. Walnut Creek, California: Left Coast Press.

Van Manen, M. (2017). But is it phenomenology?. Qualitative Health Research, 27(6), 775–779. doi:10.1177/1049732317699570

Downloads

Publicado

2020-07-03

Como Citar

Coutinho, E. ., Oliveira, A. P., Reis, C. M., Cabral Oliveira, I. R., Maltez, L. de A. ., Pereira Osório, S. M. ., Parreira, V. ., Nelas, P., Chaves, C. ., Duarte, J. ., Antunes, S. ., & Santos, P. (2020). Vivências de exclusão na academia: Desafios à interculturalidade. New Trends in Qualitative Research, 4, 391–405. https://doi.org/10.36367/ntqr.4.2020.391-405