Uso da técnica de diário para investigar autocuidado na adolescência durante a pandemia da COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e681

Palavras-chave:

Saúde do Adolescente, Saúde Mental, Autocuidado, Pandemia, Técnica do diário

Resumo

Introdução: O impacto psicológico da vivência da pandemia de COVID-19 na população em geral ainda não está totalmente evidenciado. O mesmo ocorre quando se analisa a questão em públicos específicos, como os adolescentes. Objetivo: Esse estudo objetivou identificar comportamentos de autocuidado e sentimentos de adolescentes brasileiros durante um dos momentos da pandemia da COVID-19. Métodos: Trata-se de um estudo qualitativo que contou com a participação de nove adolescentes de uma escola pública. Os dados foram coletados por meio da técnica do diário. Diários elaborados pelos pesquisadores foram preenchidos individualmente pelos adolescentes durante 30 dias. Os dados foram tratados de forma descritiva e segundo os pressupostos da análise temática. Resultados: Dois temas foram construídos na análise dos dados: 1) Compreensão do autocuidado e saúde mental; 2) Vivências de autocuidado. Verificou-se que os participantes possuíam boa compreensão de saúde mental e da necessidade de adoção de comportamentos de autocuidado durante a pandemia da COVID-19. Os registros em diário revelaram práticas de atividades físicas, alimentação equilibrada e saudável, bem como busca por apoio especializado ou de amigos. Sentimentos e aspectos negativos, mas também positivos, foram referidos pelos participantes como relacionados ao momento pandêmico. A partir dos registros, verificou-se que medidas de controle do estresse, hábitos alimentares, comunicação virtual e momentos de reflexão foram medidas de cuidado para controlar os sentimentos ou vivências negativas durante o período de coleta de dados. Conclusões: Os resultados obtidos revelam que a metodologia utilizada – técnica do diário – permitiu o registro da rotina dos participantes e, ao mesmo tempo, reflexões sobre o momento vivido. Esses aspectos são importantes na medida em que a pandemia ainda não havia sido superada no momento da coleta de dados e poucos estudos verificavam os comportamentos e os sentimentos dos adolescentes.

Referências

Barbiani, R., Schaefer, R., Leal, S. M. C., Dalla-Nora, C. R., Lui, L., Paula, C. C., Cremonese, L., Barreto, C. N., Oliveira, M. C., Viegas, K., & Farias, E. R. (2020). Atenção à saúde de adolescentes no Brasil: scoping review. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, 18(3), 179-204. https://doi.org/10.11600/1692715x.18308

Bartlett, R. & Milligan, C. (2015). The development of diary techniques for research. What is Diary Method? Londres: Bloomsbury Academic. http://dx.doi.org/10.5040/9781472572578.ch-001

Bicudo, M. A. V. (2021). A lógica da pesquisa qualitativa e os modos de procedimentos nela fundados. Revista Pesquisa Qualitativa, 9(22), 540-552. http://dx.doi.org/10.33361/RPQ.2021.v.9.n.22.507

Clarke, V., Braun, V., & Hayfield, N. (2019). Análise temática. In J. A. Smith. Psicologia qualitativa. Um guia prático para métodos de pesquisa (pp. 295-326). Rio de Janeiro: Vozes.

Dellazzana-Zanon, L. L., Patias, N. D., Oliveira, W. A., & Enumo, S. R. F. (2021). Resiliência na adolescência: riscos e proteção. In K. S. Oliveira, T. C. Nakano, & K. I. Paludo. Resiliência: teoria, avaliação e prática em psicologia (pp. 195-216). São Paulo: Hogrefe, 2021.

Jones, E., Mitra, A. K., & Bhuiyan, A. R. (2021). Impact of COVID-19 on mental health in adolescents: A systematic review. International journal of environmental research and public health, 18(5), 2470. https://doi.org/10.3390/ijerph18052470

Odusanya, O. O., Odugbemi, B. A., Odugbemi, T. O., & Ajisegiri, W. S. (2020). COVID-19: A review of the effectiveness of non-pharmacological interventions. The Nigerian postgraduate medical journal, 27(4), 261–267. https://doi.org/10.4103/npmj.npmj_208_20

Oliveira, W. A., Silva, J. L., Andrade, A. L. M., Micheli, D., Carlos, D. M., & Silva, M. A. I. (2020a). A saúde do adolescente em tempos da COVID-19: scoping review. Cadernos de Saúde Pública, 36(8), e00150020. https://doi.org/10.1590/0102-311X00150020

Oliveira, W. A., Silva, J. L., Andrade, A. L. M., Micheli, D., Fernández, J. E. R., Dellazzana-Zanon, L. L., Silva, M. A. I., & Santos, M. A. (2020b). Adolescence in times of pandemic: Integrating consensus into a concept map. Estudos de Psicologia (Natal), 25(2), 133-143. https://dx.doi.org/10.22491/1678-4669.20200014

Pinheiro, J. Q., Elali, G. A., Azevedo, A. V. M., Farias, B. C. G., Costa, M. C., & Andrade, S. S. (2008). Diário pessoal como técnica de coleta de dados em estudos sobre as relações pessoa-ambiente. In J. Q. Pinheiro & H. Gunther. Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente (pp. 281-312). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Queirós, P. J. P., Vidinha, T. S. & Almeida Filho, A. J. (2014). Autocuidado: o contributo teórico de Orem para a disciplina e profissão de Enfermagem. Revista de Enfermagem de Referência, IV(3), 157-164. http://dx.doi.org/10.12707/RIV14081

Santos, R. R., Garrocho Junior, N. M., Martins, A. M., & Modena, C. M. (2017). Gênero e práticas de saúde: singularidades do autocuidado entre adolescentes. Revista Psicologia e Saúde, 9(1), 37-57. https://dx.doi.org/10.20435/pssa.v9i1.463

Somerville, F. (2021): Exploring diary methods in higher education research: opportunities, choices and challenges. International Studies in Sociology of Education, 1-3. https://doi.org/10.1080/09620214.2021.2017785

Tyack, C., Unadkat, S., & Voisnyte, J. (2022). Adolescent sleep - lessons from COVID-19. Clinical child psychology and psychiatry, 27(1), 6–17. https://doi.org/10.1177/13591045211065937

Zildzic, M., Salihefendic, D., & Masic, I. (2021). Non-pharmacological measures in the prevention and treatment of COVID-19 infection. Medical archives, 75(4), 307–312. https://doi.org/10.5455/medarh.2021.75.307-312

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Adelita Cabrera Costa, & Wanderlei Abadio de Oliveira. (2022). Uso da técnica de diário para investigar autocuidado na adolescência durante a pandemia da COVID-19. New Trends in Qualitative Research, 13, e681. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e681