Memórias de idosos que vivem em situação de rua

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e682

Palavras-chave:

Idoso, Envelhecimento, ; População em Situação de Rua, Vulnerabilidade

Resumo

A População em Situação de Rua (PSR) apresentou significativo aumento nos centros das grandes cidades brasileiras desde a década de 90. Frente a diversidade dessa população, destacam-se os idosos em situação de rua; nestes evidencia-se extrema vulnerabilidade em saúde, sociais e legais. O processo de envelhecimento nas ruas pode ter como consequências sentimentos de tristeza, depressão e dificuldades para o autocuidado. Objetivo: Compreender as vivências dos idosos que vivem em situação de rua acerca dos principais fatos que marcaram suas vidas. Métodos: Trata-se de um estudo qualitativo na modalidade de história de vida, realizado a partir do relato de idosos que vivem em situação de rua em um município de médio porte do interior paulista. Resultados: Foram entrevistados oito idosos, sendo sete do sexo masculino e uma do sexo feminino. A partir dessas narrativas foi possível identificar as temáticas: Infância/adolescência marcada por condições de vida precárias; Presença de transtornos mentais, uso abusivo de álcool e drogas ilícitas; Vida permeada por perdas, hospitalizações e encarceramento e conflitos nas relações; Sentimentos e sensações de sofrimento; Negligência em relação ao cuidado em saúde. Conclusão: Depreende-se a necessidade de diminuir as vulnerabilidades a que está exposta a população idosa em situação de rua, bem como garantir-lhes uma vida digna com expectativas futuras por meio de programas e políticas públicas intersetoriais. O presente estudo mostra, portanto, a relevância da pesquisa qualitativa para revelar as necessidades de saúde de uma população específica e possibilitar reflexões a respeito da mesma.

Referências

Andrade, L. P., Costa, S. L. D., & Marquetti, F. C. (2014). A rua tem um ímã, acho que é a liberdade: potência, sofrimento e estratégias de vida entre moradores de rua na cidade de Santos, no litoral do Estado de São Paulo. Saúde e Sociedade, 23, 1248-1261.

Barata, R. B., Carneiro Junior, N., Ribeiro, M. C. S. D. A., & Silveira, C. (2015). Desigualdade social em saúde na população em situação de rua na cidade de São Paulo. Saúde e Sociedade, 24, 219-232.

Bedmar, M. A., Bennasar-Veny, M., Artigas-Lelong, B., Salvà-Mut, F., Pou, J., Capitán-Moyano, L., García-Toro, M., & Yáñez, A. M. (2022). Health and access to healthcare in homeless people: Protocol for a mixed-methods study. Medicine, 101(7), e28816. https://doi.org/10.1097/MD.0000000000028816

Bezerra, W. C., da Silva Firmino, G. C., Javarrotti, E. S., de Medeiros Melo, J. V., Calheiros, P. F. F., & da Silva, R. G. L. B. (2015). O cotidiano de pessoas em situação de rua: rupturas, sociabilidades, desejos e possibilidades de intervenção da Terapia Ocupacional/The everyday life of the homeless: disruptions, sociabilities, wishes and possibilities of Occupational Therapy interventio. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 23(2).

Castro, R. A. S. D., Padilha, É. B., Dias, C. M., & Botti, N. C. L. (2019). Vulnerabilidades da população em situação de rua ao comportamento suicida. Rev. enferm. UFPE on line, 431-437.

Cavalcante, A. C. S., Sérvio, S. M. T., Franco, F. R. A., Cunha, V. P., Cavalcante, F. V., & Nascimento, C. E. M. D. (2015). A clínica do idoso em situação de vulnerabilidade e risco de suicídio. Trivium-Estudos Interdisciplinares, 7(1), 74-87.

Cheung, A., Somers, JM, Moniruzzaman, A., Patterson, M., Frankish, CJ, Krausz, M., & Palepu, A. (2015). Uso de pronto-socorro e hospitalizações entre adultos em situação de rua com dependência de substâncias e transtornos mentais. Ciência do vício e prática clínica, 10 (1), 1-12.

Coelho, G. G., Lima, D. S., Silva, E. B., Silva, L. M., & Acácio Souza, T. L. A. (2020). A EFETIVIDADE DO CONSULTÓRIO NA RUA MEDIANTE O ATENDIMENTO COM A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA. Revista FAROL, 10(10), 104-118.

Corrigan, PW, & Rao, D. (2012). Sobre o auto-estigma da doença mental: estágios, divulgação e estratégias para mudança. The Canadian Journal of Psychiatry, 57 (8), 464-469.

Cunha, J. V. Q. D., & Rodrigues, M. (2009). Rua: aprendendo a contar. Pesquisa nacional sobre população em situação de rua. In Rua: aprendendo a contar. Pesquisa nacional sobre população em situação de rua (pp. 233-233).

Creswell, J. W., & Creswell, J. D. (2021). Projeto de pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto. Penso Editora.

da Silva Souza, C. R., Souza, C. R. S., Ribeiro, M. N. S., Bezerra, C. C., Diniz, C. X., Castro, F. F., ... & Nascimento, V. PASTORAL DO POVO DE RUA: ESTRATÉGIAS E AÇÕES DE SOLIDARIEDADE. COVID-19, 81.

de Souza Minayo, M. C. (2016). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Editora Hucitec.

Escorel, S. A. (2009). A Saúde das pessoas em situação de rua. Brasil, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Rua aprendendo a contar: Pesquisa nacional sobre a população em situação de rua. Brasília: MDS.

Kennedy, DP, Hunter, SB, Osilla, KC, Maksabedian, E., Golinelli, D., & Tucker, JS (2016). Uma intervenção de rede social motivacional assistida por computador para reduzir comportamentos de risco de álcool, drogas e HIV entre os residentes da Housing First. Ciência do vício e prática clínica, 11 (1), 1-13.

Lemley, C. K., & Mitchell, R. W. (2012). Narrative inquiry: Stories lived, stories told. Qualitative research: An introduction to methods and designs, 215-241.

Lima, S. S. (2019). O cuidado aos usuários de drogas em situação de privação de liberdade. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 29.

Luthar, SS, & Cicchetti, D. (2000). O constructo da resiliência: Implicações para intervenções e políticas sociais. Desenvolvimento e psicopatologia, 12 (4), 857-885.

Machado, R. W. G. (2020). A CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL PARA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA. Temporalis, 20(39), 102-118.

Magalhães Zanchi de Mattos, C., Krieger Grossi, P., Riegel, F., Rubin Unicovsky, M. A., Girardi, F., & Oliveira Crossetti, M. D. G. (2021). PERCEPÇÕES DE IDOSOS EM SITUAÇÃO DE RUA ACERCA DO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO. Revista Científica de Enfermagem-RECIEN, 11(36).

Manso, M. E. G., da Costa Lopes, R. G., & Comosako, V. T. (2018). Idosos e isolamento social: algumas considerações. Revista Longeviver.

Maremmani, AGI, Bacciardi, S., Gehring, ND, Cambioli, L., Schütz, C., Akiskal, HS, ... & Krausz, M. (2015). O impacto da sintomatologia do humor no padrão de uso de substâncias entre moradores de rua. Journal of Affective Disorders, 176, 164-170.

Meihy, J. C. S. B., & Holanda, F. (2007). História oral: como fazer, como pensar. Editora Contexto.

Natalino, MAC (2016). Estimativa da população em situação de rua no Brasil (nº 2246). Texto para discussão.

Nobre, M. T., Moreno, N. S., Amorim, A. K. D. M. A., & Souza, E. C. D. (2018). Narrativas de modos de vida na rua: histórias e percursos. Psicologia & Sociedade, 30.

PESQUISA, Q. I. E. (2019). Pesquisa censitária da população em situação de rua: caracterização socioeconômica da população em situação de rua e relatório temático de identificação das necessidades desta população na cidade de São Paulo. São Paulo: Qualitest.

Ranzani, OT, Carvalho, CR, Waldman, EA, & Rodrigues, LC (2016). O impacto de ser morador de rua no insucesso do tratamento da TB pulmonar no Estado de São Paulo, Brasil. BMC medicina, 14 (1), 1-13.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, P. B. (2006). Modelos de Pesquisa. ______. Metodologia de pesquisa. 3a. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 152-223.

Santos, I. M. M. D., & Santos, R. D. S. (2008). A etapa de análise no método história de vida: uma experiência de pesquisadores de enfermagem. Texto & Contexto-Enfermagem, 17, 714-719.

Serafino, I., & Luz, L. C. X. (2015). Políticas para a população adulta em situação de rua: questões para debate. Revista Katálysis, 18(1), 74-85.

Sicari, AA, & Zanella, AV (2018). Pessoas em situação de rua no Brasil: revisão sistemática. Psicologia: ciência e profissão, 38, 662-679.

Spindola, T., & Santos, R. D. S. (2003). Trabalhando com a história de vida: percalços de uma pesquisa (dora?). Revista da Escola de Enfermagem da USP, 37(2), 119-126.

Schenck, R., Roman, N., Erasmus, C., Blaauw, D., & Ryan, J. (2017). Sem-teto no observatório, Cidade do Cabo através das lentes da taxonomia das necessidades humanas fundamentais de Max-Neef. Serviço Social , 53 (2), 266-287.

Teixeira, M. B., Ramôa, M. D. L., Engstrom, E., & Ribeiro, J. M. (2017). Tensões paradigmáticas nas políticas públicas sobre drogas: análise da legislação brasileira no período de 2000 a 2016. Ciência & Saúde Coletiva, 22, 1455-1466.

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Aline Pereira de Souza, Gabriella Rocha de Souza, Paula Sales Rodrigues, Juliana Ribeiro da Silva Vernasque, & Maria José Sanches Marin. (2022). Memórias de idosos que vivem em situação de rua. New Trends in Qualitative Research, 13, e682. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e682