Perceção dos enfermeiros acerca da transição de cuidados num serviço de urgência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e685

Palavras-chave:

Enfermagem, Handoff, Serviço hospitalar de emergência

Resumo

A comunicação eficaz entre profissionais de saúde na transferência de informação clínica é determinante para garantir a segurança dos cuidados. Eventos adversos ocorrem como consequência de falhas de comunicação. Objetivos: Compreender a perceção dos enfermeiros acerca da transição de cuidados de saúde num serviço de urgência, tendo em conta a continuidade de cuidados de saúde. Métodos: Estudo de natureza qualitativa, exploratório, realizado num serviço de urgência médico-cirúrgica da região norte de Portugal. Recurso a uma amostragem não probabilística por conveniência constituída por 14 enfermeiros, com inclusão de enfermeiros generalistas e especialistas, com tempo mínimo de experiência no serviço de urgência igual ou superior a 1 ano. A recolha dos dados foi efetuada entre abril e junho de 2021, através de uma entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados através de análise de conteúdo temática, com categorização mista. A análise de dados cumpriu os pressupostos de Bardin e foi auxiliada pelo software MAXQDA 2020 Analytics Pro. Resultados: Evidenciam-se cinco categorias - “segurança da transição de cuidados”,” continuidade dos cuidados de saúde”, “valorização da autonomia”, “papel formativo da transição de cuidados, “confidencialidade da informação – que integram o tema “importância da transição de cuidados de saúde”. Conclusões: Sobressaem como principais conclusões do estudo que: i) a transição de cuidados é influenciada pela afluência de doentes ao serviço de urgência; ii) a informação comunicada é determinante para a definição de prioridades e para a continuidade dos cuidados; iii) o modelo biomédico é dominante na seleção da informação a ser transmitida; iv) a transição de cuidados deve assumir um papel formativo dentro da equipa de enfermagem; e v) a confidencialidade da informação clínica configura-se como um desafio aos profissionais de saúde.

Referências

Administração Central do Sistema de Saúde (2021). Produção e rácios de eficiência. https://benchmarking-acss.min-saude.pt/MH_ProdRacioEficUrgenciaDashboard

Bakon, S., Wirihana, L., Christensen, M., & Craft, J. (2017). Nursing handovers: An integrative review of the different models and processes available. International Journal of Nursing Practice, 23(2). https://doi.org/10.1111/ijn.12520

Bardin, L. (2014). Análise de conteúdo (4ªed). Edições 70.

Bukoh, M., & Siah, C. (2020). A systematic review on the structured handover interventions between nurses in improving patient safety outcomes. Journal of Nursing Management, 28(3), 744-755. https://doi.org/https://doi.org/10.1111/jonm.12936

Coutinho, C. P. (2019). Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas: Teoria e prática (2ª Ed). Almedina.

Desmedt, M., Ulenaers, D., Grosemans, J., Hellings, J., & Bergs, J. (2021). Clinical handover and handoff in healthcare: A systematic review of systematic reviews. International Journal for Quality in Health Care, 33(1), mzaa170. https://doi.org/10.1093/intqhc/mzaa170

Direção Geral da Saúde. (2017). Comunicação eficaz na transição de cuidados de saúde. https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/normas-e-circulares-normativas/norma-n-0012017-de-08022017.aspx

Fortin, M. F. (2009). Fundamentos e etapas no processo de investigação. Lusodidacta.

Guerra, I. C. (2006). Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo. Sentidos e formas de uso. Principia.

Heilman, J. A., Flanigan, M., Nelson, A., Johnson, T., & Yarris, L. M. (2016). Adapting the I-PASS Handoff Program for emergency department inter-shift handoffs. West Journal Emergency Medicine, 17(6), 756-761. https://doi.org/10.5811/westjem.2016.9.30574

Kwok, E. S., Clapham, G., White, S., Austin, M., & Calder, L. A. (2020). Development and implementation of a standardised emergency department intershift handover tool to improve physician communication. BMJ Open Quality, 9(1), e000780. https://doi.org/10.1136/bmjoq-2019-000780

Lavoie, P., Clausen, C., Purden, M., Emed, J., Frunchak, V., & Clarke, S. P. (2021). Nurses’ experience of handoffs on four Canadian medical and surgical units: A shared accountability for knowing and safeguarding the patient. Journal of Advanced Nursing, 77(10), 4156–4169. https://doi.org/10.1111/jan.14997

Methangkool, E., Tollinche, L., Sparling, J., & Agarwala, A. V. (2019). Communication: is there a standard handover technique to transfer patient care? International Anesthesiology Clinics, 57(3), 35–47. https://doi.org/10.1097/AIA.0000000000000241

Ordem dos Enfermeiros. (2017). Parecer 61/2017 - Atribuição de tempo para a passagem de turno. https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/documentos/Documents/CE_Parecer_61_AtribuicaoTempoPassagemTurno.pdf

Organização Mundial da Saúde. (2021). Draft Global Patient Safety Action Plan 2021 - 2030. Toward eliminating avoidable harm in health care. OMS. https://www.who.int/teams/integrated-health-services/patient-safety/policy/global-patient-safety-action-plan

Ribeiro, O., Martins, M. M., Tronchin, D. M., & Silva, J. M. (2018). Professional nursing practice grounded in the theoretical framework of the discipline: Reality or utopia. Revista de Enfermagem Referencia, 4(19), 39–48. https://doi.org/10.12707/RIV18040

Ribeiro, O. M., Martins, M. M., Tronchin, D. M., Silva, J. M., & Forte, E. C. (2019). Professional practice models used by nurses in Portuguese hospitals. Revista Brasileira de Enfermagem, 72, 24-31. https://www.scielo.br/j/reben/a/tTLgvNTrJtMnNBgwdw8GFKM/abstract/?lang=en&format=html

Sanjuan-Quiles, Á., Hernández-Ramón, M. P., Juliá-Sanchis, R., García-Aracil, N., Castejón-de La Encina, M. E., & Perpiñá-Galvañ, J. (2019). Handover of patients from prehospital emergency services to emergency departments: A qualitative analysis based on experiences of nurses. Journal of Nursing Care Quality, 34(2), 169–174. https://doi.org/10.1097/NCQ.0000000000000351

The Joint Commission Internacional. (2014). Padrões de acreditação da Joint Commission International para hospitais. JCI. https://docplayer.com.br/2906871-Padroes-de-acreditacao-da-joint-commission-international-para-hospitais.html

Thomson, H., Tourangeau, A., Jeffs, L., & Puts, M. (2018). Factors affecting quality of nurse shift handover in the emergency department. Journal of Advanced Nursing, 74(4), 876-886. https://doi.org/10.1111/jan.13499

Tortosa-Alted, R., Reverté-Villarroya, S., Martínez-Segura, E., López-Pablo, C., & Berenguer-Poblet, M. (2021). Emergency handover of critical patients. A systematic review. International Emergency Nursing, 56, 100997. https://doi.org/10.1016/j.ienj.2021.100997

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Pedro Costa, Cristina Martins, & Paula Encarnação. (2022). Perceção dos enfermeiros acerca da transição de cuidados num serviço de urgência . New Trends in Qualitative Research, 13, e685. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e685