Plano de Contingência da Assistência Social na Pandemia COVID 19 no Brasil: Implementação e Transversalidade (Fase II)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e709

Palavras-chave:

Pandemia, Covid-19, Política Pública, Assistencia Social, Plano de Contingência

Resumo

Esta pesquisa  na Fase II de seu desenvolvimento objetiva revisar, explorar, identificar e mapear os Planos de Contingência PLANCON da Assistência Social elaborados na pandemia de COVID-19 entre 2020 e 2021 nas capitais do 26 Estados e DF para identificar e explorar as questões lógicas, técnicas e políticas do planejamento e gestão das medidas preventivas e mitigadoras para a proteção e a defesa civil na resposta nessa situação de emergência. Considerada como desastre natural, a pandemia foi inserida no subgrupo biológico, com aumento brusco, significativo e transitório da ocorrência de doenças infecciosas geradas por vírus na Classificação e Codificação Brasileira de Desastres COBRADE. A capilaridade do Sistema Único da Assistência Social (SUAS) na política de proteção social brasileira, em conexão com o Sistema Único de Saúde (SUS) possibilita potenciar a elaboração dos PLANCON da Assistência Social para atuação na Covid-19 nos 27 Estados e 5.570 municípios. No Brasil os Planos de Contingência estão previstos na Política Nacional de Proteção e Defesa Civil para definir procedimentos, ações e decisões na resposta às emergências. Como pesquisa de caráter preponderantemente qualitativo e tipo de estudo com base em revisão de literatura, prevê, com apoio da ferramenta digital do software webQDA otimizar a sistematização dos dados em ambiente colaborativo e distribuído, essencial na interação da equipe distante geograficamente. Como resultado propedêutico, constataram-se diferentes níveis de óbices no acesso aos planos nas capitais pesquisadas. O despreparo global no enfrentamento de contingências resulta em diferentes variáveis que afetam os resultados no planejamento e gestão nas áreas da saúde, economia, educação, assistência social, entre outras. Como resultado, após a finalização de todas as fases (I, II, III e IV), espera-se que a pesquisa possa contribuir para subsidiar a reflexão e o debate de novas metodologias de trabalho na gestão das políticas públicas e proteção social.

Referências

Brasil. Lei 12.608 de abril de 2012, definido na Política Nacional de Defesa Civil. Disponível L12608 (planalto.gov.br). Acesso em 20 de abril de 2022.

Brasil. Portaria N. 188 de 3 de fevereiro de 2020. Ministério da Saúde. Disponível em Portaria-188-20-ms (planalto.gov.br). Acesso em 20 de abril de 2022.

CFESS/ABEPSS. (2009) Conselho Federal de Serviço Social & Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social Serviço Social: Direitos Sociais e competencias profissionais. Brasília, Brasil. CFESS/ABEPSS

Costa, A. P., & Amado, J. (2018). Análise de conteúdo suportada por software. Aveiro, Portugal: Ludomedia.

Franco, L.P.B. (2012). Análise de Conteúdo. Brasília, Brasil. Liber livro.

Fiocruz. Fundação Oswaldo Cruz. Disponível https://portal.fiocruz.br/

FITS-ALC. (2020) Federación Internacional de Trabajo Social para América Latina y el Caribe – FITS-ALC em abril

Gomes, A.L. & Torres, A. (2020). SUAS na Pandemia: Planejamento para Assegurar Proteção. Vira e Mexe Desenvolvimento de Equipes. PDF Disponível em www.facebook.com/aviraemexe. Brasil.

IBGE. Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). https://www.ibge.gov.br/

IFSW. (2020). International Federation of Social Workers. (2020). Acesso em 20 de abril de 2022. Disponível https://www.ifsw.org/2020-conference/

IPEA. (2022). Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Acesso em 29 de abril de 2022. Disponível em: https://ipea.gov.br/portal/

Minayo, M.C.S. (2016). Fundamentos, percalços e expansão das abordagens qualitativas. In Souza, D. N. de, Costa, A.P., & Souza, F. Neri de, (2016). Investigação Qualitativa Inovação, Dilemas e Desafios. Aveiro, Portugal Ludomedia

Minayo,M.C.S. & Costa, A.P. (2019). Técnicas que hacen uso de la palbra, de la observación y de la empatia Investigación Cualitativa em Acción. Aveiro, Portugal Ludomedia

MORAES, R. F. (2022). O uso de evidências científicas no enfrentamento à pandemia de COVID-19 no Brasil: Uma comparação das políticas de governo estaduais. In KOGA, N. M. et al. Políticas Públicas e Usos de Evidências no Brasil: conceitos, métodos, contextos e práticas. IPEA, 2022

ONU (2015-2030). Organização das Nações Unidas. Marco de Sendai. Acesso em 29/04/2022. Disponível em: https://www.unisdr.org/files/43291_spanishsendaiframeworkfordisasterri.pdf

OPAS. Organização Pan-americana da Saúde. Disponível https://www.paho.org/pt/brasil

SOARES, C.B. (2019). Revisão Qualitativa da Literatura com Enfoque na Revisão Sistemática. In Costa, A.P. (2019) Revisão da Litertura com Apoio de Software Contribuição da Pesquisa Qualitativa. Aveiro, Portugal: Ludomedia

Souza, D.N.de, Costa, P.C. & Souza, F.N. de, (2016). Investigação Qualitativa: Inovação, dilemas e desafios. Aveiro, Portugal: Ludomedia

Minayo, M.C.S. (2016) Fundamentos, percalços e expansão das abordagens qualitativas. In Souza, D. N. de, Costa, A.P., & Souza, F. Neri de, (2016). Investigação Qualitativa Inovação, Dilemas e Desafios. Aveiro, Portugal Ludomedia

MORAES, Rodrigo Fracalossi. O uso de evidências científicas no enfrentamento à pandemia de COVID-19 no Brasil: Uma comparação das políticas de governo estaduais. In KOGA, Natália Massaco et al. Políticas Públicas e Usos de Evidências no Brasil: conceitos, métodos, contextos e práticas. IPEA, 2022

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Selma Aparecida Leite de Andrade, Andréa Abrahão Costa, & Tiago Leite Ramires. (2022). Plano de Contingência da Assistência Social na Pandemia COVID 19 no Brasil: Implementação e Transversalidade (Fase II). New Trends in Qualitative Research, 13, e709. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e709