Implementação do Brinquedo Terapêutico em unidades pediátricas hospitalares: Perspectiva dos profissionais de saúde integrantes do BrinquEinstein

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e710

Palavras-chave:

Ciência da implementação, Práticas Interdisciplinares, Criança hospitalizada, Jogos e Brinquedos.

Resumo

Introdução: Os benefícios da aplicação do brinquedo terapêutico (BT) em pediatria são amplamente divulgados na literatura. As evidencias sustentam o seu uso no cuidado da criança hospitalizada com impacto positivo na diminuição da ansiedade e do medo, não apenas dela, mas de seus familiares. Este estudo buscou investigar sobre a percepção dos profissionais de um grupo de referência para aplicação do BT (BrinquEinstein) em relação à sua implementação em uma unidade pediátrica hospitalar. Objetivos: Compreender como os profissionais que pertencem ao grupo BrinquEinstein, avaliam o processo de implementação sistemática do BT em unidades pediátricas hospitalares; delinear os fatores facilitadores e as barreiras para que esta implementação ocorra na perspectiva destes profissionais. Método: Estudo exploratório, de abordagem qualitativa, desenvolvido nas unidades pediátrica e de terapia intensiva de um hospital geral, de extraporte, da cidade de São Paulo. Participaram da amostra, profissionais de diferentes categorias que atuam nestas unidades e que pertencem ao BrinquEinstein. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada individual e audiogravada, sendo analisados a partir da Análise Temática Indutiva proposta por Braun & Clark. Resultados: Da análise das entrevistas, emergiram dois temas que representam a perspectiva de integrantes do BrinquEinstein sobre o processo de implementação do BT: “vivenciando um processo transformador” e “estabelecendo perspectivas futuras”. Conclusão: Para os profissionais entrevistados, é imprescindível que o uso do BT se torne uma prática rotineira nos diferentes contextos de atendimento à saúde da criança. Gestores e instituições têm papel fundamental na implementação desta prática, na identificação das necessidades e na busca de soluções para torná-la uma realidade.

Referências

Aranha, B.F., Souza, M.A., Pedroso, G.E.R., Maia, E.B.S. & Melo, L.L. (2020). Using the instructional therapeutic play during admission of children to hospital: the perception of the family. Rev Gaúcha Enferm., 41:e20180413. https://doi.org/10.1590/1983- 1447.2020.20180413

Caleffi, C.C.F., Rocha, P.K., Anders, J.C., Souza, A.I.J, Burciaga, V.B. & Serapião, L.S. (2016). Contribuição do brinquedo terapêutico estruturado em um modelo de cuidado de enfermagem para crianças hospitalizadas. Rev. Gaúcha Enferm., 37, (2), e58131. https://doi.org/10.1590/1983-1447.2016.02.58131

Chiavon, S.D., Brum, C.N., Santos, E., Sartoretto, E.A.; Zuge, S.S.; Gaio, G.; Trentin, P.A. & Potrich, T. (2021). Utilização do brinquedo terapêutico para a criança que vivencia o processo de hospitalização: uma revisão narrativa. Brazilian Journal of Health Review, 4, (1), 382-398. https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/22724/18211

Claus, M.I.S., Maia, E.B.S., Oliveira, A.I.B., Ramos, A.L., Dias, P.L.M. & Wernet, M. (2021). A inserção do brincar e brinquedo nas práticas de enfermagem pediátrica: pesquisa convergente assistencial. Esc. Anna Nery, 25, (3), e20200383. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2020-0383

Drayton, N.A., Waddups, S. & Walker, T. (2019). Exploring distraction and the impact of child life specialists: Perception from nurses in a pediatric setting. J Spec Pediatr Nurs., 24, e12242. https://doi.org/10.1111/jspn.12242

Gjærde, L.K., Hybschmann, J., Dybdal, D., Topperzer, M.K., Schrøder, M.A., Gibson, J.L., Ramchandani, P., Ginsberg, E.I., Ottesen, B., Frandsen, T.L. & Sørensen, J.L. (2021). Play interventions for paediatric patients in hospital: a scoping review. BMJ Open, 11:e051957. http://dx.doi.org/10.1136/bmjopen-2021-051957

Godino-Iáñez, M. J., Martos-Cabrera, M.B., Suleiman-Martos, N., Gómez-Urquiza, J.L., Vargas-Román, K., Membrive-Jiménez, M.J. & Albendín-García, L. (2020). Play Therapy as an Intervention in Hospitalized Children: A Systematic Review. Healthcare (Basel, Switzerland), 8, (3), 239. https://doi.org/10.3390/healthcare8030239

He, H.G., Zhu, L.X., Chan, W.C., Liam, J.L., Ko, S.S., Li, H.C., Wang, W. & Yobas, P. (2015). A mixed-method study of effects of a therapeutic play intervention for children on parental anxiety and parents' perceptions of the intervention. J Adv Nurs., 71, (7), 1539-51. http://doi.org/10.1111/jan.12623

Langley, G.J., Moen, R.D., Nolan, K.M., Nolan, T.W., Norman, C.L. & Provost, L.P. (2011). Modelo de Melhoria: Uma abordagem prática para melhorar o desempenho organizacional. Mercado de letras.

Li, W.H.C., Chung, J.O.K., Ho, K.Y., Kwok & B.M.C. (2016). Play interventions to reduce anxiety and negative emotions in hospitalized children. BMC Pediatr., 16, 36. https://doi.org/10.1186/s12887-016-0570-5

Maia, E.B.S., La Banca, R.O., Rodrigues, S., Pontes, E.D., Sulino, M.C. & Lima, R.A.G.(2022). A força brincar-cuidar na enfermagem pediátrica: perspectivas de enfermeiros em grupos focais. Texto Contexto Enferm. 31, e20210170. https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2021-0170

Miranda, C. B. (2022). Modelo de implementação sistemática da prática de brinquedo terapêutico em unidades hospitalares pediátricas. [Dissertação de Mestrado Profissional]. Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein, Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein.

Sanne L. Nijhof, Vinkers, C.H., Geelen, S.M., Duijff, S.N., Achterberg, E.J.M., Net, J., Veltkamp, R.C., Grootenhuis, M.A, Putte, E.M., Hillegers, M.H.J., Brug, A.W., Wierenga, C.J., Benders, M.J.N.L., Rutger C.M.E. Engels, R.C.M.E., Ent, C.K., Louk J.M.J., Vanderschuren, L.J.M.J & Lesscher, H.M.B. (2018). Healthy play, better coping: The importance of play for the development of children in health and disease. Neuroscience and Biobehavioral Reviews, 95, 421-429. https://doi.org/10.1016/j.neubiorev.2018.09.024

Pedrinho, L.R., Shibukawa, B.M.C., Rissi, G.P., Uema, R.T.B., Merino, M.F.G.L. & Higarashi, I,H. (2021). O brinquedo terapêutico na atenção primária: contribuições para a sistematização da assistência de enfermagem. Enferm., 30, . e20200616. https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2020-0616

Rashid, A.A., Cheong, A.T., Hisham, R., Shamsuddin, N.H.1 & Roslan, D.. (2021). Effectiveness of pretend medical play in improving children’s health outcomes and well-being: a systematic review. BMJ Open, 11, e041506. https://doi.org/10.1136/bmjopen-2020-041506

Silva, R.D., Austregésilo, S.C., Ithamar, L. & Lima, L.S. (2017). Therapeutic play to prepare children for invasive procedures: a systematic review. J Pediatr (Rio J.), 93, 6-16. http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2016.06.005

Sousa, C.S., Barreto, B.C., Santana, G.A., Miguel, J.V., Braz, L.S., Lima, L.N. & Melo, M.C. (2021). O brinquedo terapêutico e o impacto na hospitalização da criança: revisão de escopo. Rev. Soc. Bras. Enferm. Ped., 21, (2), 173-80. http://dx.doi.org/10.31508/1676-379320210024

Souza, L.K. (2019). Pesquisa com análise qualitativa de dados: conhecendo a Análise Temática. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 71, (2), 51-67. http://dx.doi.org/10.36482/1809-5267.ARBP2019v71i2p.51-67

Souza, V.R., Marziale, M.H., Silva, G.T. & Nascimento, P.L. (2021). Tradução e validação para a língua portuguesa e avaliação do guia COREQ. Acta Paul. Enferm., 34, eAPE02631. http://dx.doi.org/10.37689/actaape/2021AO02631

Steele, S. (1981). Child health and family: concept of communication. Masson.

Stewart, A. L., Field, T. A., & Echterling, L. G. (2016). Neuroscience and the magic of play therapy. International Journal of Play Therapy, 25, (1), 4–13. https://doi.org/10.1037/pla0000016

Yayan, E.H., Zegin, M., Düken, M.E. & Dag, Y.S. (2019).Reducing children's pain and parents' anxiety in the postoperative period: A therapeutic model in Turkish sample. Journal of Pediatric Nursing, 51, E33-E38. https://doi.org/10.1016/j.pedn.2019.07.004

World Health Organization. (2018). Standards for improving the quality of care for children and young adolescents in health facilities. http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/272346/9789241565554-eng.pdf?ua=1

Zengin, M., Yayan, E. H. & Düken, M. E. (2021). The effects of a therapeutic play/play therapy program on the fear and anxiety levels of hospitalized children after liver transplantation. Journal of Perianesthesia Nursing: official journal of the American Society of PeriAnesthesia Nurses, 36, (1), 81–85. https://doi.org/10.1016/j.jopan.2020.07.006

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Fabiane de Amorim Almeida, Carolline Billett Miranda, & Edmara Bazoni Soares Maia. (2022). Implementação do Brinquedo Terapêutico em unidades pediátricas hospitalares: Perspectiva dos profissionais de saúde integrantes do BrinquEinstein . New Trends in Qualitative Research, 13, e710. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e710