Uma abordagem qualitativa sobre as principais causas de churning de recursos humanos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.14.2022.e720-0

Palavras-chave:

Churning de recursos humanos, Causas de churning, Entrevistas, Recursos humanos, Análise de conteúdo

Resumo

Introdução: Apesar da pertinência da operacionalização do conceito de churning de recursos humanos, este ainda é um tema pouco desenvolvido, com pouca literatura e estudos empíricos. É neste sentido que surge o interesse pelo estudo desta temática, permitindo contribuir para o desenvolvimento de um tema de grande complexidade, assim como contribuir quer para o aumento da literatura, quer para o aumento de estudos empíricos. Objetivos/ Métodos: Este artigo tem como objetivo analisar, através de uma abordagem qualitativa, quais as principais causas de churning de recursos humanos. O estudo segue uma abordagem qualitativa com recurso à análise da literatura internacional e à realização de 20 entrevistas semiestruturadas como instrumentos de recolha de dados. Como forma de tratamento dos dados, recorreu-se à análise de conteúdo que permitiu selecionar as principais variáveis em estudo. Resultados: Através dos dados obtidos foi possível definir como principais causas de churning: o baixo salário; a falta de progressão na carreira; a falta de desenvolvimento individual; os horários rígidos; a fraca liderança; a concorrência; a localidade; o mau ambiente de trabalho; a fraca cultura organizacional; a falta de promoção; a falta de reconhecimento; a falta de disponibilidade; a dificuldade na conciliação trabalho-família e a falta de motivação. Conclusões: Como forma de minimizar a ocorrência de churning, propõe?se a implementação de medidas estratégicas por parte das organizações de forma a ir de encontro com as necessidades e as expetativas dos seus trabalhadores, com o intuito de que estes se sintam satisfeitos e motivados na organização e com o seu trabalho, afastando a decisão de sair da organização.

Referências

Adams, J. (2006). The Many Costs of Employee Churn. Supply House Times, 1, 26-28.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Edições 70.

Blanch, J. M. (2003). Condiciones de Trabajo. In J. M. Blanch, M. J. Espuny, C. Gala & A. Martín (Orgs.), Teoría de las relaciones laborales. Fundamentos (pp. 42-44). Editorial UOC.

Burgess, S., Lane, J., & Stevens, D. (2000). Job Flows, Worker Flows, and Churning. Journal of Labor Economics, 18, 473-502. https://doi.org/10.1086/209967

Cappelli, P., & Neumark, D. (2004). External Churning and Internal Flexibility: Evidence on the functional flexibility and core-periphery hypotheses. Industrial Relations, 43(1), 148-182. https://doi.org/10.1111/j.0019-8676.2004-00322

Carlomagno, M., & Rocha, L. (2016). Como criar e classificar categorias para fazer análise de conteúdo: uma questão metodológica. Revista Eletrônica de Ciência Política, 7(1), 173-178.

Harman, W., & Horman, J. (1992). O trabalho criativo – o papel construtivo dos negócios numa sociedade em transformação. São Paulo: Editora Pensamento - Cultrix.

Hudson, C. (2015). Churning in the Human Services: Nefarious Practice or Policy of “Creative Destruction”? New England Journal of Public Policy, 27(1), 1-11.

Kaderábkováa, B., & Malecekb, P. (2015). Churning and Labour Market Flows in the New EU Member States. Procedia Ecomomics and Finance, 30, 372-378. https://doi.org/10.1016/S2212-5671(15)01304-0

Lazear, E., & Spletzer, J. (2012). Hiring, Churn and the Business Cycle. American Economic Review Papers & Proceedings, 102(3), 575-579. https://doi.org/10.1257/aer.102.3.575

Pirrolas, O., & Correia, P. (2021). The theoretical-conceptual model of churning in human resources: the importance of its operationalization. Sustainability, 13(9), 1-11.

Pirrolas, O., & Correia, P. (2020). O churning aplicado à gestão de recursos humanos: a importância de um modelo de previsão. Lex Humana, 12(1), 59-68.

Pirrolas, O., & Correia, P. (2021). Churning de recursos humanos: causas e estratégias de atenuação. Lex Humana, 13(1), 165-181.

Quivy, R., & Campenhoudt, L. (2013). Manual de investigação em ciências sociais. (6ª Edição). Gradiva.

Saradhi, V., & Palshikar, G. (2010). Employee Churn Prediction. Expert Systems whith Applications, 38(3), 1999-2006. https://doi.org/10.1016/j.eswa.2010.07.134

Sisodia, D., Vishwakarma, S., & Pujahari, A. (2017). Evaluation of Machine Learning Models for Employee Churn Prediction. IEEE [Conference session]. Inventive Computing and Informatics (ICICI), International Conference. https://doi.org/10.1109/ICICI.2017.8365293

Yigit, I., & Shourabizadeh, H. (2017). An Approach for Predicting Employee Churn by Using Data Mining. IEEE [Conference session]. Artificial Intelligence and Data Processing Symposium International (IDAP). https://doi.org/10.1109/IDAP.2017.8090324

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Olga Alexandra Chinita Pirrolas, & Pedro Miguel Alves Ribeiro Correia. (2022). Uma abordagem qualitativa sobre as principais causas de churning de recursos humanos. New Trends in Qualitative Research, 14, e720–0. https://doi.org/10.36367/ntqr.14.2022.e720-0