Vivências dos trabalhadores do instituto médico legal de belo horizonte, minas gerais, frente ao desatre de massa: Rompimento de barragem

Autores

  • Cláudia Sueli da Rocha Instituto Médico Legal de Minas Gerais – Brasil https://orcid.org/0000-0002-5331-3014
  • Luiz Sérgio Silva Mestrado Profissional em Promoção de Saúde e Prevenção da Violência, Departamento de Medicina Preventiva e Social, Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - Brasil https://orcid.org/0000-0002-3517-6941
  • Jandira Maciel da Silva Mestrado Profissional em Promoção de Saúde e Prevenção da Violência, Departamento de Medicina Preventiva e Social, Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - Brasil https://orcid.org/0000-0002-9990-9323

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e730

Palavras-chave:

Trabalho pericial, Equipe multidisciplinar, Identificação de vítimas, Múltiplas vítimas, Sofrimento

Resumo

Introdução: O desastre de massa do rompimento da Barragem B1 da Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais, Brasil, em 25 de janeiro de 2019, resultou em destruição ambiental, sofrimentos e mortes. Objetivo: discutir a atuação dos profissionais do Instituto Médico Legal de Belo Horizonte, Minas Gerais, frente à realização das perícias técnico-científicas nas vítimas fatais e no atendimento aos seus familiares, provocado pela tragédia. Método: Foi realizado estudo quali-quantitativo, do tipo descritivo-explicativo, cujos instrumentos foram questionários, estruturado e semiestruturado, aplicados aos trabalhadores da instituição, que abordaram aspectos sociodemográficos, dificuldades pessoais e estruturais para a realização do trabalho e a percepção dos mesmos neste trabalho específico. Resultados: Os resultados da pesquisa sugerem que a composição e atuação da equipe multidisciplinar qualificada foram essenciais para o êxito do trabalho, observando-se as dificuldades em relação ao espaço e estrutura física, pessoal e de equipamentos. O trabalho da equipe multidisciplinar trouxe a partir das vivências: aprendizado, superação, riscos e sofrimento. Concluiu-se que a atuação dos profissionais envolvidos permitiu a perícia médico legal das vítimas fatais, o acolhimento dos seus familiares e a identificação e liberação dos corpos para os devidos trâmites e sepultamento. No contexto histórico do Instituto Médico Legal de Belo Horizonte, Minas Gerais, este desastre em massa, é um marco referencial que explicita a atuação técnica multidisciplinar dos profissionais envolvidos em um dos maiores acidentes de trabalho ampliado, com vítimas fatais, ocorrido no Brasil.

Referências

Bardin, L. (2006). Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70. (Obra original publicada em 1977).

Barros, V. A.; Silva, L. R. (2004). Trabalho e cotidiano no Instituto Médico Legal de Belo Horizonte. Psicologia em Revista, 10(16):318-33.

Brant, L. C., & Minayo-Gomez, C. (2004). A transformação do sofrimento em adoecimento: do nascimento da clínica à psicodinâmica do trabalho. Ciência & Saúde Coletiva, 9(1), 213-23.

Brasil. (2001). Ministério da Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Codo, W., Soratto, L., & Vasques-Menezes. (2004). Saúde mental e trabalho In: J. C. Zanelli, J. E. Borges-Andrade, & A. V. B. Bastos, (Org.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. (pp. 276-299). Porto Alegre: Artmed.

Conselho Nacional dos Direitos Humanos. (2019). Relatório da missão emergencial a Brumadinho/MG após rompimento da Barragem da Vale S/A. Brasília.

Couto, R. C. (2011). Perícias em medicina e odontologia legal. Rio de Janeiro: Medbook.

Dejours, C. (1992). A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. 5. ed. ampl. São Paulo: Cortez-Oboré.

Facchini, L. A. (1993). Uma contribuição da Epidemiologia: o modelo da determinação social aplicado à saúde do trabalhador. In: L. E. Rocha, et al. (Orgs.). Isto é trabalho de gente? Vida, doença e trabalho no Brasil. São Paulo: Vozes.

Heloani, J. R. M. (2016). Histórico das relações de trabalho e seu reflexo na organização e gestão laboral. In: K. B. Macêdo, et al. (Org.). Organização do trabalho e adoecimento: uma visão interdisciplinar. Goiânia: PUC Goiás, p. 67-92.

ILO - International Labour Organization. (1986). Psychosocial factors at work: recognition and control. Geneva. http://www.ilo.org/public/libdoc/ilo/1986/86B09_301_engl.pdf.

Krawulski, E. (1998). A orientação profissional e o significado do trabalho. Rev ABOP, 2(1): 5-19.

Leka, S., & Jain, A. (2010). Health impact of psychosocial hazards at work: an overview. World Health Organization. https://apps.who.int/iris/ bitstream/handle/10665/44428/9789241500272_ eng.pdf;jsessionid=EF58BFE 406D9B5093E104761145B3E04?sequence=1.

Linhares, C. (2020). Um ano após tragédia em Brumadinho, amostras de corpos ainda chegam ao IML de BH diariamente. [online]. A Cidade On. 18/01/2020. https://www.acidadeon.com/cotidiano/ NOT,0,0,1479171,Um+ano+apos+tragedia+em+Brumadinho+amostras+de+corpos+ainda+chegam+ao+IML+de+BH+diariamente.aspx.

Louzada, R. S. M. L. (2014). “Eu tenho medo é dos vivos”: análise psicodinâmica do trabalho entre profissionais da Medicina Legal. [Dissertação Mestrado, Universidade Federal do Pará].

Marx, K. O capital. Trad. Regis Barbosa; Flávio R. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

Minas Gerais. (1969). Lei nº 5.406, de 16 de dezembro de 1969. Lei Orgânica da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais.https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br;minas.gerais:estadual:lei:1969-12-16;5406.

Minayo, M. C. S. (2002). Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: M. C. S. Minayo (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, p. 9-29.

Pina, J. A., & Stotz, E. N. (2014). Intensificação do trabalho e saúde do trabalhador: uma abordagem teórica. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 39(130):150-60.

Quintão, A. (2019). Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. CPI da barragem de Brumadinho. Relatório Final. Belo Horizonte.

Rodrigues, C. V., Silva, M. T., &Truzzi, O. M. S. (2010). Perícia criminal: uma abordagem de serviços. Gestão & Produção, 17(4), 843-57.

Simões, F. I. W. F. (2013). Adoecimento no trabalho: um estudo de caso. R. Laborativa,2(2), 73-85. http://ojs.unesp.br/index. php/rlaborativa.

Vale. (2021). Lista de pessoas identificadas e sem contato. http://www.vale.com/brasil/PT/aboutvale/servicos-para-comunidade/minas-gerais/atualizacoes_brumadinho/Paginas/listas-atualizadas.aspx.

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Cláudia Sueli da Rocha, Luiz Sérgio Silva, & Jandira Maciel da Silva. (2022). Vivências dos trabalhadores do instituto médico legal de belo horizonte, minas gerais, frente ao desatre de massa: Rompimento de barragem. New Trends in Qualitative Research, 13, e730. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e730