Papel da brinquedoteca na recuperação da criança hospitalizada sob a ótica de pais e responsáveis

Autores

  • Fernanda Amorim Cesário Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Suelen Fernanda Coutinho Pinto Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Thaís de Freitas Aniceto Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Alessandra Silva Lima Jardim Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Claudirene Milagres Araújo Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Lilian Machado Torres Hospital Governador Israel Pinheiro, Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.239-250

Palavras-chave:

Enfermagem Pediátrica; Humanização da Assistência; Ludoterapia; Pais; Saúde da Criança Institucionalizada.

Resumo

Introdução: a hospitalização infantil representa incontáveis consequências para a criança, sua família e toda a equipe de saúde, concebidas por comportamentos depressivos e/ou agressivos e atitudes pouco colaborativas que interferem no cuidado em saúde. A brinquetoteca é um dos métodos para a humanização da assistência pediátrica. Objetivo: compreender como pais e responsáveis percebem a brinquedoteca na recuperação de suas crianças hospitalizadas. Método: pesquisa exploratória, descritiva, com abordagem qualitativa. Participaram 15 pais ou responsáveis pelas crianças internadas na unidade pediátrica, por meio de entrevistas, a partir de um roteiro semiestruturado. Os conteúdos dos depoimentos foram organizados e analisados pelo referencial de Bardin. Resultados: a sala de brincar é terapêutica e pais e responsáveis percebem a redução das tensões em suas crianças hospitalizadas, o aumento de sua autoestima e maior sensação de segurança, o que contribui para sua recuperação. Emergiram tres categorias temáticas: O tempo de hospitalização sendo ocupado; O vínculo criado pelas brincadeiras entre os responsáveis e as criança; e O brincar como recurso terapêutico. Conclusões: atividades lúdicas revestem-se da dimensão terapêutica, reconhecida pelos pais ou responsáveis. As equipes de saúde devem refletir e implementar brincadeiras que promovam atendimento humanizado e viabilizem maior relacionamento entre os pequenos e os adultos.

Downloads

Publicado

2020-07-08

Como Citar

Cesário, F. A. ., Pinto, S. F. C. ., Aniceto, T. de F. ., Jardim, A. S. L. ., Araújo, C. M. ., & Torres, L. M. . (2020). Papel da brinquedoteca na recuperação da criança hospitalizada sob a ótica de pais e responsáveis. New Trends in Qualitative Research, 3, 239–250. https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.239-250