A entrevista em grounded theory: Aprender com os Participantes

Autores

  • Célia Simão de Oliveira Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Portugal
  • Rita Madeira Nogueira Hospital Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, E.P.E.R. Portugal
  • Idalina Delfina Gomes Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.742-753

Palavras-chave:

Enfermagem; Entrevista; Grounded Theory; Investigação; Métodos.

Resumo

Introdução Desenhar e realizar entrevista é um quase imperativo para quem se propõe investigar em paradigma interpretativo. Para que exista consistência e rigor metodológico num estudo, importa saber alinhar a técnica de recolha de dados com o método em uso, no caso a entrevista com a Grounded Theory (GT); Objetivos Justificar as características da entrevista em GT; realçar aspetos a preservar e erros a evitar nesta entrevista; dar contributos práticos para o desenho e realização de entrevista; Métodos Artigo metodológico que analisa e critica, fundamentadamente, um guião de entrevista e a forma como a mesma foi conduzida; Resultados Usar um guião de entrevista, mesmo que bem construído, pode ser difícil. O entrevistador, ao realizar a entrevistar, pode afastar-se dele e colocar outras questões que pela forma ou pelo conteúdo prejudicam a obtenção de dados relevantes em GT; Conclusões A técnica de recolha de dados precisa ajustar-se ao método de investigação adotado. Investigadores iniciados podem ter dificuldade em construir questões que: reflitam a influência do interacionismo simbólico; que suscitem as perspetivas e o sentido atribuído pelos participantes; que evidenciem as ações socialmente empreendidas e consequências percebida.

Downloads

Publicado

2020-07-09

Como Citar

Simão de Oliveira, C. ., Nogueira, R. M. ., & Gomes, I. D. (2020). A entrevista em grounded theory: Aprender com os Participantes. New Trends in Qualitative Research, 3, 742–753. https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.742-753