Narrativas de Psicólogas a partir da Lei Maria da Penha

Autores

  • Marilda Castelar Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Brasil
  • Amanda Torquatro Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Brasil
  • Verena Souza Souto Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.1018-1025

Palavras-chave:

Mulher; Violência; Psicologia; Lei Maria da Penha

Resumo

Este trabalho objetiva discutir as narrativas de psicólogas na política pública para mulheres em situação de violência a partir da Lei Maria da Penha. Método: Pesquisa qualitativa exploratória. Foram realizadas sete entrevistas com psicólogas, gravadas em áudio, transcritas e posteriormente fez-se uma análise de conteúdo. Resultados: Foram encontradas profissionais de Psicologia inseridas em todos os equipamentos especializados com algum conhecimento da Lei 11.340/06 e das políticas públicas para as mulheres. Entretanto, apresentam dificuldades no manejo da rede e no conhecimento teórico e metodológico na operacionalização de suas práticas profissionais e apenas uma participa do movimento de mulheres. Conclusões: Apesar da importância das psicólogas no acolhimento e acompanhamento à mulher em situação de violência, é necessário aperfeiçoar o conhecimento dessas profissionais sobre a Lei 11.340/06 e sobre as políticas públicas voltadas para mulheres. Além de aprimorar a formação das psicólogas frente à violência contra mulheres.

Downloads

Publicado

2020-07-10

Como Citar

Castelar, M. ., Torquatro, A. ., & Souto, V. S. . (2020). Narrativas de Psicólogas a partir da Lei Maria da Penha. New Trends in Qualitative Research, 3, 1018–1025. https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.1018-1025