Itinerário Terapêutico e Vulnerabilidade Social em Adultos com Doença Falciforme

Autores

  • Rosana Brandão Vilela Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina, Maceió-Al, Brasil
  • Lorena Cardoso Caldas Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina, Maceió-Al, Brasil
  • Brunna Correia Santos Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina, Maceió-Al, Brasil
  • Alexia Carneiro de Almeida Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina, Maceió-Al, Brasil
  • Maria Alexsandra Silva Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina, Maceió-Al, Brasil
  • Sidney José Santos Associação das Pessoas com Hemoglobinopatias de Alagoas, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.202-210

Palavras-chave:

Itinerário Terapêutico, Pesquisa Qualitativa, Doença Falciforme, Vulnerabilidade Social

Resumo

A reconstituição do itinerário terapêutico é uma tecnologia utilizada na prática da pesquisa qualitativa. Este estudo buscou analisar a vulnerabilidade social de pessoas adultas com doença falciforme (DF), por meio da reconstrução de itinerários terapêuticos. Trata-se de uma enfermidade hereditária, crônica, de alta prevalência no Brasil, que pode causar uma série de complicações ao longo da vida do indivíduo acometido. Na pesquisa foram entrevistados sete adultos (cinco mulheres e dois homens), com doença falciforme. Os participantes, selecionados de forma intencional, apresentaram em comum um histórico clínico e laboratorial de DF do tipo grave (SS). O material foi submetido à análise de conteúdo, na modalidade temática, utilizando as categorias indicadas previamente: (a) Renda, trabalho e escolaridade; (b) Interações familiar, social e amorosa; (c) Associação de pacientes e Internet. Os resultados da pesquisa demonstraram que a reconstituição de itinerários terapêuticos possibilita a compreensão dos variados modos da vulnerabilidade social na vida dessas pessoas, no estado de Alagoas, apresentando as diferenças e as similaridades nas formas de seu enfrentamento. Observou-se a vulnerabilidade social associada à precária comunicação sobre a doença, no ato da consulta médica, na escola e no trabalho. A inserção desses indivíduos em grupos de convivência, a exemplo das mídias sociais, trouxe benefícios como fonte de conhecimento, bem como canal de comunicação com outras pessoas com diagnóstico semelhante. Portanto, a reconstrução de itinerários terapêuticos mostrou-se uma importante ferramenta para: conhecer e avaliar esta dimensão analítica da vulnerabilidade e sua relação com o autocuidado em saúde; identificar a necessidade de ações mais efetivas visando oportunidades educacional, econômica, social e cultural; e favorecer a afirmação da experiência trazida pelas pessoas com doença falciforme.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Rosana Brandão Vilela, Lorena Cardoso Caldas, Brunna Correia Santos, Alexia Carneiro de Almeida, Maria Alexsandra Silva, & Sidney José Santos. (2021). Itinerário Terapêutico e Vulnerabilidade Social em Adultos com Doença Falciforme. New Trends in Qualitative Research, 8, 202–210. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.202-210