Análise qualitativa do Plano Municipal de Saúde de São Paulo, Brasil – Com o apoio do software webQDA®

Autores

  • Alexandra Bulgarelli do Nascimento Centro Universitário Senac - SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.304-312

Palavras-chave:

Pesquisa Qualitativa, Planejamento em Saúde, Sistema Único de Saúde, Avaliação das Necessidades de Cuidados de Saúde, Vulnerabilidade Social

Resumo

Introdução: O Sistema Único de Saúde, no Brasil, tem o objetivo de assistir à população em suas necessidades em saúde. Para tanto, os municípios contam com o Plano Municipal de Saúde (PMS) para planejar e monitorar as ações implementadas. Objetivos: Analisar como o PMS de São Paulo reconhece as necessidades em saúde da população, em especial, de grupos sociais vulneráveis, e analisar o apoio do software webQDA® na organização e análise do grande volume de dados qualitativos provenientes do PMS de São Paulo. Método: Estudo qualitativo com análise de conteúdo de Bardin e apoio do webQDA®, para desvelar o significado do PMS de São Paulo de 2014-2017. Resultados e Discussão: O PMS em arquivo word foi inserido no webQDA® como fonte interna. A árvore de codificação das categorias empíricas foi criada, com a inclusão dos códigos: ‘Vulnerabilidades Sociais’ e ‘Resposta às Necessidades em Saúde’, e a análise de conteúdo de Bardin, foi realizada evidenciando que o PMS de 2014-2017 está centrado em ideias de natureza funcionalistas e pautado na produtividade dos serviços, em detrimento da identificação das heterogêneas necessidades em saúde, em especial, de grupos sociais vulneráveis. Conclusões: O PMS de 2014-2017 trouxe alguns objetivos relacionados à presença de vulnerabilidades na cidade de São Paulo, o que é um avanço, apesar de quantitativamente possuir reduzida representatividade frente à maioria dos objetivos propostos e direcionados para responder à ocorrência de doenças e agravos, desarticulados dos perfis epidemiológicos dos diferentes grupos sociais. O webQDA® apoiou o desenvolvimento deste estudo, ao permitir o manejo de grande volume de dados qualitativos, bem como o remanejamento de trechos do PMS entre os códigos, como proposto pela análise de conteúdo de Bardin que estabelece a necessidade de exaustão da análise dos fragmentos extraídos para composição das unidades de significado e explicação do fenômeno sob análise.

Referências

Albuquerque, M.S.V., Costa, A.M., Lima, L.P., & Melo-Filho, D.A. (2011). Equidade e inclusão de grupos sociais na política de saúde: o caso do Recife, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 11(1), 73-82. http://doi.org/10.1590/S1519-38292011000100008

Bardin, L. (2015). Análise de conteúdo (1nd ed.). Edições 70.

Brasil. (2016). Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 510, de 7 de abril de 2016. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html

Brasil. (2009). Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Reflexões aos novos gestores municipais de saúde (1st ed.). Conasems. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/reflexoes_novos_gestores_municipais.pdf

Breilh, J. (2019). Critical Epidemiology in Latin America: Roots, Philosophical and Methodological Ruptures. In: Vallverdú J., Puyol A., & Estany A. (Eds.), Philosophical and Methodological Debates in Public Health (pp. 21-45). Springer. https://www.springer.com/gp/book/9783030286255

Bueno, R.E., Moysés, S.T., Bueno, P.A.R., & Moysés, S.J. (2013). Governança, sustentabilidade e equidade no plano de saúde de São José dos Pinhais, Brasil. Revista Panamericanam Salud Publica, 34(6), 416-421. https://www.scielosp.org/article/rpsp/2013.v34n6/416-421/

Duncan, P., Bertolozzi, M.R., Cowley, S., Egry, E.Y., Chiesa, A.M., & Siqueira França, F.O. (2015). 'Health for All' in England and Brazil? International Journal Health Services, 45, 545-563. http://doi.org/10.1177/0020731415584558

Egry, E.Y. (1996). Saúde coletiva: construindo um novo método em enfermagem (1st ed.). Ícone.

Egry, E.Y. (2018). A glance at the Good Practices of Nursing in Primary Care. Revista Brasileira de Enfermagem, 71(3), 930-931. http://doi.org/10.1590/0034-7167.2018710301

Gatto-Júnior, J.R., Ventura, C.A.A., & Bueno, S.M.V. (2015). A formação do enfermeiro, o sistema único de saúde e a saúde como um direito: uma revisão sobre a tipologia de conteúdos de ensino-aprendizagem. Arquivos de Ciências da Saúde, 19(1), 59-72. https://doi.org/10.25110/arqsaude.v19i1.2015.5266

Hino, P., Ciosak, S.I., Fonseca, R.M.G.S., & Egry, E.Y. (2009). Necessidades em saúde e atenção básica: validação de instrumentos de captação. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43(2), 1156-1167. http://doi.org/10.1590/S0080-62342009000600003

Larsen, M., Rantala, R., Koudenburg, A.O., & Gulis, G. (2014). Intersectoral action for health: the experience of a Danish municipality. Scandinavia Journal Public Health, 42, 649-657. http://doi.org/10.1177/1403494814544397

Martins, L.R., Egry, E.Y., & Apostólico, M.R. (2015). Consideraciones acerca de la importancia del estudio de saberes necesarios para el afrontamiento de la violencia infantil en la atención primaria de salud. Revista Eletrônica da Faculdade Invest de Ciências e Tecnologia, 14(2), 137-149. https://doi.org/10.22490/25391887.1463

Minayo, Maria Cecilia de Souza, & Costa, A. P. (2019). Techniques that use speech, observation and empathy: qualitative research in action (1st ed.). Ludomedia.

Nascimento, A.B. (2015). Análise da oferta e da demanda por serviços de saúde de um território sanitário como contribuição para a atenção e gestão em saúde. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 4(2), 73-86. http://doi.org/10.5585/rgss.v4i2.162

Nascimento, A.B., & Egry, E.Y. (2017). Municipal health plans and the potentialities of recognition of health needs: a study on four Brazilian Municipalities. Saúde e Sociedade, 26(4), 861-871. http://doi.org/10.1590/s0104-12902017170046

OPAS. (2011). Organização Pan-Americana da Saúde. A atenção à saúde coordenada pela APS: construindo as redes de atenção no SUS (1st ed.). Ministério da Saúde. https://iris.paho.org/handle/10665.2/18457

Santos, A.M., & Giovanella, L. (2014). Governança regional: estratégias e disputas para gestão em saúde. Revista de Saúde Pública, 48(4), 622-631. http://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005045

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Alexandra Bulgarelli do Nascimento. (2021). Análise qualitativa do Plano Municipal de Saúde de São Paulo, Brasil – Com o apoio do software webQDA® . New Trends in Qualitative Research, 8, 304–312. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.304-312