The Influence of Vocational Training on the Development of Integrality on Physical Rehabilitation

Authors

  • Paula Carolina de Castro Boscateli Faculdade de Mecidina de Marília, Brasil
  • Elza de Fátima Ribeiro Higa Faculdade de Mecidina de Marília, Brasil
  • Antônio Henrique Rodrigues dos Passos Faculdade de Mecidina de Marília, Brasil
  • Maria José Sanches Marin Faculdade de Medicina de Marília, Brasil
  • Luís Carlos Paula e Silva Faculdade de Mecidina de Marília, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.404-411

Keywords:

Completeness in Health, Comprehensive Health Care, Rehabilitation, Pacient Assistence Team, Education

Abstract

Introduction: The physical health of the disabled person is always a priority, and this issue is gaining expression over the last years, but it is important that the physical rehabilitation professionals can work with the patients following the guidelines and policies of the procedures. In this scope, one that stands out is the integrality. Objective: To understand the influence of the vocational training on the development of integrality in the context of Physical Rehabilitation. Methodology: Qualitative research based on hermeneutic-dialectic principals with the collect of social-demographical information and interviews guided by a mainline question with the members of a multi professional staff of a Rehabilitation Center and data analysis, using the Method of Senses Interpretation. Results: The talking points of the staff members revealed three analytical categories: the lack of valorization of the integrality on the vocational training, gaps on the learning-teaching process related to Physical Rehabilitation and the lack of proper training and courses focusing on integrality. It is noted a superficial understanding of integrality by the professionals, pointing to the need of changes in health practices; however, this change of direction and focus is linked to the vocational training, demanding the valorization of integrality. Conclusions: Through the Hermeneutic-dialectic concepts it is understood the need of changing in cultural paradigms on the vocational training of professionals, something that will only occur with alterations on the educational goals of graduation courses, where the integral approach must put higher priority on the biological side instead of the reductionism, which means placing the disabled person as the focus of the actions instead of their disability.  It is important to note also the need of future researches to verify possible actions with the purpose of contextualizing integrality on health graduation courses.

References

Aguiar, J. R., & Santos, A. O. (2016). O conceito de integralidade em saúde nos artigos científicos, no Supremo Tribunal Federal (STF) e nos enunciados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Cad. Ibero-Amer. Dir. Sanit., 5(4), 96-111. https://doi.org/10.17566/ciads.v5i4.275

Alves, M. A., Ribeiro, F. F., & Sampaio, R. F. (2016). Potencial de mudança nas práticas de saúde: a percepção de trabalhadores de uma Rede de Reabilitação em (trans)formação. Fisioter. Pesqui., 23(2), 185-192. https://doi.org/10.1590/1809-2950/14945923022016

Ayres, J. R. C. M. (2009). Organização das ações de atenção à saúde: modelos e práticas. Saude soc, 18(2), 11-23. https://doi.org/10.1590/S0104-12902009000600003

Backes, D. S., Carpes, A. D., Piovesan, C., Haeffner, L. S. B., & Lomba, A. B. (2014). Trabalho em equipe multiprofissional na saúde: da concepção ao desafio do fazer na prática. Disciplinarum Scientia, 15(2), 277-289.

Brito-Silva, K., Bezerra, A. F. B., & Tanaka, O. Y. (2012). Direito à saúde e integralidade: uma discussão sobre os desafios e caminhos para sua efetivação. Interface, 16(40), 249-260. https://doi.org/10.1590/S1414-32832012005000014

Comes, Y., Trindade, J. d. S., Pessoa, V. M., Barreto, I. C. d. H. C., Shimizu, H. E., Dewes, D., Arruda, C. A. M., & Santos, L. M. P. (2016). A implementação do Programa Mais Médicos e a integralidade nas práticas da Estratégia Saúde da Família. Ciênc. saúde colet., 2729-2738. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.15472016

Decreto nº 61.003, de 19 de Dezembro de 2014 da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. (2014). Diário Oficial do Estado de São Paulo: seção 1:1. http://pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/usr/share/documents/PcDcenso_2010RegAdministrativas.pdf

Dormites, S. S., Bento, L. M., Lorenzetti, J., Klein, A. C., & Pires, D. (2015). Processo de trabalho em reabilitação: a perspectiva do trabalhador e do usuário. Aquichán, 15(6), 403-412. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.15472016

Gadamer, H. G. (2015). Verdade e método I (15th ed.). Vozes.

Konder, L. (2008). O que é dialética (25th ed.). Brasiliense.

Lacerda, F. C. B., & Santos, L. M. D. (2018). Integralidade na formação do ensino superior: metodologias ativas de aprendizagem. Avaliação (Campinas; Sorocaba), 23, 611-627. https://doi.org/10.1590/S1414-40772018000300003

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2017). Fundamentos de metodologia científica (8th ed.). Gen Atlas.

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde (14th ed.). Hucitec.

Minayo, M. C. S., & Deslandes, S. F. (2013). Caminhos do Pensamento: epistemologia e método (3rd ed.). Fiocruz.

Minayo, M. C. S., Assis, S. G., & Souza, E. R. (2016). Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais (5th ed.). Fiocruz.

Minayo, M. C. S., Deslandes, S. F., & Gomes, R. (2015). Pesquisa social: teoria, método e criatividade (34th ed.). Vozes.

Missel, A., Costa, C. C., & Sanfelice, G. R. (2017). Humanização da saúde e inclusão social no atendimento de pessoas com dificiência física. Trab. educ. Saúde, 15(2). https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00055

Pereira, J. S., & Machado, W. C. A. (2016). Referência e contrarreferência entre os serviços de reabilitação física da pessoa com deficiência: a (des)articulação na microrregião Centro-Sul Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil. Physis, 26(3), 1033-1051. https://doi.org/10.1590/S0103-73312016000300016

Pereira, S. O. (2009). Reabilitação de pessoas com deficiência física no SUS: elementos para um debate sobre integralidade [Master’s thesis, Universidade Federal da Bahia]. Repositório Institucional da Universidade Federal da Bahia. http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10898

População com deficiência e por deficiências - Censo/2010 da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo. (2010). Diário Oficial do Estado de São Paulo. http://pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/usr/share/documents/PcDcenso_2010RegAdministrativas.pdf

Portaria Nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 do Ministério da Saúde. (2007). Diário Oficial da União: seção 1. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2007/prt1996_20_08_2007.html

Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012 do Ministério da Saúde. (2012). Diário Oficial da União: seção 1. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016 do Ministério da Saúde. (2016). Diário Oficial da União: seção 1. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html

Ribeiro, C. T. M., Ribeiro, M. G., Araújo, A. P., Mello, L. R., Rubim, L. C., & Ferreira, J. E. S. (2010). O sistema público de saúde e as ações de reabilitação no Brasil. Rev Panam Salud Publica, 28(1), 43-48. https://scielosp.org/pdf/rpsp/2010.v28n1/43-48/pt

Santos, R. N. L. C., Ribeiro, K. S. Q. S., Anjos, U. U., Farias, D. N., & Lucena, E. M. F. (2015). Integralidade e interdisciplinaridade na formação de estudantes de Medicina. Rev. bras. educ. med., 39(9), 378-387. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v39n3e02412014

Schmidt, L. K. (2014). Hermenêutica. (3rd ed). Vozes.

Silva, M. V. S., Miranda, G. B. N., & Andrade, M.A. (2017). Sentidos atribuídos à integralidade: entre o que é preconizado e vivido na equipe multidisciplinar. Interface, 21 (62), 589-599. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622016.0420

Silva, R., & Ramos, F. (2010). Integralidade em saúde: revisão de literatura. Cienc Cuid Saude, 9(3), 593-601. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v9i3.8726

Teixeira, G. B., Silva, C. A., Teixeira, L. B., & Monteiro, A. I. (2013). Compreendendo o princípio de integralidade na visão de discentes da graduação em enfermagem. Esc. Anna Nery, 17(4), 764-771. https://doi.org/10.5935/1414-8145.20130022

Published

2021-07-08

How to Cite

Paula Carolina de Castro Boscateli, Elza de Fátima Ribeiro Higa, Antônio Henrique Rodrigues dos Passos, Maria José Sanches Marin, & Luís Carlos Paula e Silva. (2021). The Influence of Vocational Training on the Development of Integrality on Physical Rehabilitation. New Trends in Qualitative Research, 8, 404–411. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.404-411

Issue

Section

Chapters

Similar Articles

You may also start an advanced similarity search for this article.