Diálogos sobre a Construção dos Itinerários Terapêuticos por Pessoas que Vivenciam Hanseníase

Autores

  • Fábio Solon Tajra Departamento de Medicina Comunitária da Universidade Federal do Piauí, Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados, Brasil
  • Guilherme de Sousa Lima Universidade Federal do Piauí, Brasil
  • Eduardo Roesener Vieira Universidade Federal do Piauí, Brasil
  • Camila Maria Coelho de Moura Universidade Federal do Piauí, Brasil
  • Viriato Campelo Departamento de Parasitologia e Microbiologia da Universidade Federal do Piauí, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.487-495

Palavras-chave:

Hanseníase, Acesso Universal aos Serviços de Saúde, Integralidade, Integralidade em Saúde, Pesquisa Qualitativa, Hermenêutica

Resumo

A hanseníase, agravo negligenciado no Brasil, tem constituído um problema de saúde pública. Existe uma tensão para que sejam elaboradas propostas de intervenção para prevenção, controle e minimização dos efeitos ocasionados. Os itinerários terapêuticos construídos pelas pessoas que vivenciam esse agravo contribuem para a identificação de boas práticas, bem como dos pontos a serem melhorados e aperfeiçoados. Objetivos: compreender os itinerários terapêuticos da população que vivenciam hanseníase no estado do Piauí, tendo em vista a necessidade de perceber as potencialidades e fragilidades da rede. Métodos: Trata-se de um estudo de delineamento qualitativo norteado pelo paradigma interpretativo. Realizamos entrevistas individuais a partir de roteiro semiestruturado com treze pessoas que vivenciavam hanseníase no estado do Piauí. O projeto foi aprovado pelo Comitê Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí (nº 3.429.590).  Resultados: as unidades de Atenção Primária à Saúde foram mencionadas como importante referência para o acolhimento dos casos e condução do cuidado em saúde. Contudo, apresentaram fragilidades relacionados ao diagnóstico e preparo dos profissionais diante das condutas apropriadas. Conclusões: importante levar em consideração os destaques mencionados neste estudo, à medida em que se propõe o cuidado à saúde de pessoas que vivenciam a hanseníase. Isso inclui a reflexão sobre a atuação dos equipamentos de saúde, bem como a organização e o funcionamento dos serviços em rede, a definição de sistemas de apoio e logística e a adoção de protocolos e fluxos. Desse modo, é possível verificar a efetividade desses equipamentos de saúde na atenção integral ao paciente e propor intervenções que visem a melhoria desse serviço.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Fábio Solon Tajra, Guilherme de Sousa Lima, Eduardo Roesener Vieira, Camila Maria Coelho de Moura, & Viriato Campelo. (2021). Diálogos sobre a Construção dos Itinerários Terapêuticos por Pessoas que Vivenciam Hanseníase. New Trends in Qualitative Research, 8, 487–495. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.487-495