Atuação dos pais e responsáveis no cuidado da criança em Unidade de Terapia Intensiva

Autores

  • Claudirene Milagres Araújo Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Isabela Mie Takeshita Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Carolina Sant’Anna Gusmão Instituto Materno Infantil de Minas Gerias S/A, Brasil
  • Letícia Fernandes de Oliveira Instituto Materno Infantil de Minas Gerias S/A, Brasil
  • Carla de Paula Silveira Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil
  • Alessandra Silva Lima Jardim Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.856-863

Palavras-chave:

Cuidados Críticos, Cuidados de Enfermagem, Família

Resumo

A família é o primeiro alicerce de uma criança, imprescindível para seu crescimento e desenvolvimento adequados. Em diversos contextos a criança passa por momentos de estresse, como na doença e na hospitalização. Essa última pode levar à instabilidade emocional e trauma. Logo, neste processo, é normal a criança sentir medo e outros sentimentos desagradáveis, devido à falta de maturidade para assimilar seu estado de saúde e por estar em um ambiente desconhecido e afastado de seus familiares. É imprescindível que a equipe multidisciplinar desenvolva um cuidado baseado no compartilhamento efetivo de informações, no acesso irrestrito ao filho, na participação efetiva dos pais na tomada de decisões e no respeito mútuo. Objetivo: Compreender a percepção do enfermeiro acerca da atuação dos pais ou responsáveis da criança internada em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Métodos: Estudo descritivo de abordagem qualitativa, por meio de entrevistas online guiadas por roteiro semiestruturado. Foi utilizada a estratégia bola de neve, a amostragem por saturação teórica e os depoimentos foram analisados pelo referencial de Bardin. Resultados: Participaram 13 profissionais enfermeiros. As categorias temáticas elaboradas foram: Atuação dos pais ou responsáveis no apoio emocional e melhora clínica; Execução e restrição do cuidado realizado pelos pais ou responsáveis. Conclusão: O enfermeiro entende como positiva a permanência e a realização de cuidados pelos pais ou responsáveis dentro da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, pois auxilia na melhora clínica e no apoio psicológico, além de reaproximar a família do cuidado do filho.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Claudirene Milagres Araújo, Isabela Mie Takeshita, Carolina Sant’Anna Gusmão, Letícia Fernandes de Oliveira, Carla de Paula Silveira, & Alessandra Silva Lima Jardim. (2021). Atuação dos pais e responsáveis no cuidado da criança em Unidade de Terapia Intensiva. New Trends in Qualitative Research, 8, 856–863. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.856-863