Saúde, integralidade e cuidado: Concepções de gestores de unidades básicas de saúde

Autores

  • Janaína da Câmara Zambelli Universidade Federal de Goiás, Brasil
  • Pedro Henrique Brito da Silva Universidade Federal de Goiás, Brasil
  • Nelson Filice de Barros Universidade Estadual de Campinas, Brasil
  • Ellen Synthia Fernades de Oliveira Universidade Federal de Goiás, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.567-579

Palavras-chave:

Terapias Complementares; Integralidade em Saúde; Gestão em Saúde; Pesquisa Qualitativa.

Resumo

As Práticas Integrativas e Complementares (PIC) constituem como significativo instrumento para ampliar o acesso como para a qualificação dos serviços, numa perspectiva da integralidade da atenção à saúde. Este estudo teve como objetivo analisar as concepções de saúde, integralidade e cuidado para o gestor de Unidade Básica de Saúde que não oferta ou deixou de ofertar as práticas integrativas e complementares em uma região metropolitana. Estudo descritivo exploratório de abordagem qualitativa, realizado entre os meses de novembro e dezembro de 2018, com 24 gestores de 16 municípios. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturada, que foram gravadas, transcritas e analisadas tematicamente, com o auxílio do software Nvivo 11. Da análise dos dados emergiram duas categorias: Concepções dos gestores acerca de saúde e Concepções dos gestores sobre integralidade nas PIC. Conclui-se que os gestores de serviços de APS na Região Metropolitana de Goiânia demonstram que ainda persiste a reprodução de ações e práticas centradas no modelo biomédico, embora os gestores reconheçam suas limitações. São fatores como esses que dificultam a implementação e expansão de novos modelos de cuidado, como as PIC.

Downloads

Publicado

2020-07-08

Como Citar

Zambelli, J. da C. ., Brito da Silva, P. H. ., Filice de Barros, N. ., & Fernades de Oliveira, E. S. . (2020). Saúde, integralidade e cuidado: Concepções de gestores de unidades básicas de saúde. New Trends in Qualitative Research, 3, 567–579. https://doi.org/10.36367/ntqr.3.2020.567-579