O uso de smart speakers na incapacidade: Uma scoping review

Autores

  • Rafael Tavares Escola Superior de Saúde, Politécnico de Leiria, Leiria, Portugal
  • Helena Sousa Centro de Estudos do Movimento e Atividade Humana, (CEMAH), Departamento de Terapia Ocupacional, Politécnico do Porto, Portugal
  • Jaime Ribeiro Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF), Universidade de Aveiro, Portugal; Center for Innovative Care and Health, Escola Superior de Saúde, Technology (ciTechCare), Politécnico de Leiria, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.392-403

Palavras-chave:

Deficiência, Internet of Things, Casa Inteligente, Sistemas Ativados por Voz

Resumo

Introdução: Os smart speakers (SS), como o Amazon Echo e o Google Nest, estão estabelecidos no mercado mundial e disponíveis para a população geral. A inteligência artificial programada nestes dispositivos de conversação e a sua compatibilidade com diferentes redes cria oportunidades para a criação de intervenções em diferentes populações com incapacidade aplicáveis num contexto de casa inteligente. Objetivos: Compreender como os SS estão a ser utilizados por indivíduos com incapacidade, revelar o seu potencial e possibilidades de intervenção. Métodos: Em fevereiro de 2021 foi realizada uma scoping review baseada em artigos das bases de dados PubMed/Medline, B-On, Scopus e Web of Science. Foram considerados artigos publicados desde 2016 até 2021, escritos em português e inglês e revistos por pares. Foram incluídos estudos focados na utilização de SS disponíveis no mercado geral (Google Nest / Home, Amazon Echo, Invoke, HomePod) como agente de intervenção no ambiente residencial ou ECU, em populações com condições diversas, abrangendo indivíduos com deficiências sensoriais, cognitivas, emocionais e motoras. Resultados: Foram identificadas diferentes abordagens e exigências dos utilizadores. Os dispositivos foram aplicados como uma solução singular ou como um elemento de sistemas de maior complexidade, interagindo com outros dispositivos ou softwares. Conclusões: A identificação de diferentes intervenções para diferentes incapacidades sublinha o potencial de intervenção destes dispositivos com melhorias funcionais observadas em incapacidades físicas, cognitivas, sensoriais e emocionais.  Estes dispositivos podem substituir dispositivos dispendiosos criados para nichos de população e sistemas fechados, dirigidos para formas concretas de incapacidade. Sendo a personalização uma característica relevante, a aplicação de SS não dispensa o acompanhamento técnico no processo.

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Rafael Tavares, Helena Sousa, & Jaime Ribeiro. (2021). O uso de smart speakers na incapacidade: Uma scoping review. New Trends in Qualitative Research, 8, 392–403. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.392-403