Tecnologias para o Raciocínio Clínico do Enfermeiro: Revisão Integrativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e669

Resumo

Introdução:  tecnologias são parte integrante do trabalho em saúde, pois contribuem para a construção do saber desde a origem da ideia, passando por seu desenvolvimento e chegando à implementação do conhecimento. A associação entre tecnologia e educação se torna cada vez mais inerente à reestruturação do processo de ensino aprendizagem atual, possibilitando que os novos meios digitais de acesso à informação e aos conhecimentos, modifiquem e aprimorem os moldes da cultura globalizada. Objetivo:  identificar tecnologias que contribuem para o desenvolvimento do raciocínio clínico na elaboração de diagnósticos de enfermagem em publicações nacionais e internacionais. Método: revisão integrativa da literatura, realizada na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), no Catálogo de Teses e Dissertações do Portal de Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), no Portal de periódicos da CAPES; Pubmed e no banco de dados Scopus com estudos publicados entre 2002 e 2020, publicados em inglês, espanhol e português. Resultados: foram analisados dois artigos, uma tese e duas dissertações de doutorado e mestrado acadêmico, nos quais as tecnologias utilizadas na elaboração de Diagnósticos de Enfermagem foram Sistema de Informação do tipo registro, software computacional e plataforma para internet, curso com abordagem de aprendizado baseada em problemas e árvores de decisão para auxílio na determinação diagnóstica. Os resultados demostraram limitação no desenvolvimento de tecnologias para o raciocínio clínico dos enfermeiros. Considerações finais: o estudo revela desafios relacionados ao desenvolvimento de tecnologias, que inovam a prática habitual da enfermagem seja na gerência, assistência, ensino, pesquisa e extensão, indicando que publicações nesta temática são incipientes, sendo que as tecnologias permitem o desenvolvimento e construção do conhecimento.

Referências

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. CIP.

Bragagnollo, G.R., Camargo, R.A.A., Guimarães, M.D.N., Santos, T.S.D., Monteiro, E.L.M., & Ferreira, B.R. (2020). Development and validation of an interactive educational technology on spotted fever. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 28(1), 1-13. http://Dx.Doi.Org/10.1590/1518-8345.3678.3375.

Caritá, E.C., Nini, R.A., & Melo, A.D.S. (2010). Sistema de auxílio aos diagnósticos de enfermagem para vítimas de trauma no atendimento avançado pré-hospitalar móvel utilizando as taxonomias nanda e nic. Journal Health Informatics, 4(2), 87-94.

Carvalho, F.S., & Barcelos, K.L. (2017). Sistematização da assistência de enfermagem: vivências e desafios de enfermeiros de uma unidade de terapia intensiva adulto. Revista Brasileira de Ciências da Vida, 5(2), 01-25.

Chaves, D. B. R. (2011). Árvores de decisão para inferência de desobstrução ineficaz de vias aéreas e respiratório ineficaz de crianças com infecção respiratória aguda. [Dissertação mestrado em Enfermagem]. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará.

Cofen-. Resolução Cofen-358/2009 (2009). Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências.

Ercole, F. F., Melo, L. S., & Alcoforado, C. L. G. C. (2014). Revisa?o integrativa versus revisa?o sistema?tica . Revista Mineira Enfermagem, 18(1): 1-260. http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20140001.

Farias, Q.L.T., Rocha, S.P., Cavalcantes, A.S.P., Diniz, J.L., Ponte Neto, O.A., & Vasconcelos, M.I.O. (2017). Implicações das tecnologias de informação e comunicação no processo de educação permanente em saúde. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, 11(4), 1-11. http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v11i4.1261.

Fernandes, B.K.C., Soares A.G., Melo B.V., Lima, W.N., Borges, C.L., Lopes, V.M., & Freitas, M.C. (2019). Diagnósticos de enfermagem para idosos frágeis institucionalizados. Revista Enfermagem Ufpe Online, 13(4), 966 -72. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i04a237572p966-972-2019.

Ferreira, S.R.S., Perico, L.A.D., & Dias, V.R.F.G (2018). A complexidade do trabalho do enfermeiro na atenção primária à saúde. Revista Brasileira Enfermagem, 71(1), 704-709. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0471.

Jensen, R (2010). Desenvolvimento e avaliação de um programa computacional baseado em lógica fuzzy para verificação da acurácia diagnóstica de estudantes de enfermagem. [Dissertação mestrado]. Universidade Estadual De Campinas, Instituto De Ciências Médicas.

Jensen, R., & Lopes, M.H.B.M (2011). Enfermagem e lógica fuzzy: uma revisão integrativa. Revista Latino-Americana Enfermagem, 19(1), 1-8. https://doi.org/10.1590/S0104-11692011000100026.

Joventino, E.S., Dodt, R.C.M., Araujo, T.L., Cardoso, M.V.LM.L., Silva, V.M., & Ximenes, L.B. (2011). Tecnologias de enfermagem para promoção do aleitamento materno revisão integrativa da literatura. Revista Gaúcha Enfermagem, 32(1), 178-184. https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000100023.

Lira, A. L. B. C. (2009). Ensino de diagnóstico de enfermagem: uma estratégia educativa fundamentada na aprendizagem baseada em problemas. [Tese doutorado em Enfermagem]. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará.

Merhy E.E., Chakkour M., Stéfano, E., Stéfano, M.E., Santos, C.M., Rodrigues, R.A (2006). Em busca de ferramentas analisadoras das tecnologias em saúde: a informação e o dia a dia de um serviço, interrogando e gerindo trabalho em saúde. In: Merhy, E.E., Onocko, R., (Org.). Agir em saúde: um desafio para o público (113-150). Hucitec.

Nietsche, E.A., Teixeira, E., & Medeiros, H.P (2014). Tecnologias cuidativo-educacionais: uma possibilidade para o empoderamento do/a enfermeiro. Moriá.

Nietsche, E. A., Lima, M. G. R. de., Rodrigues, M. G. S., Teixeira, J. A., Oliveira, B. N. B., Motta, C. A., Gribler, C. S., Gribler, V. M., Lucas, D. D. I., & Farias, M. K. F. (2012). Tecnologias inovadoras do cuidado em enfermagem. Revista De Enfermagem Da UFSM, 2(1), 182–189. https://doi.org/10.5902/217976923591.

Penha, J.R.L., Fernandes, F.A., Oliveira, C.C., Oliveira, R.D., & Barros, E.F (2018). Validação e utilização de novas tecnologias na saúde e educação: uma revisão integrativa. Revista Interdisciplinar de Promoção da Saúde, 1(3), 199-206. https://doi. org/10.17058/rips.v1i3.12580.

Pissaia, L.F., Costa, A.E.K., Rehfeldt, M.J.H., & Moreschi, C (2017). Tecnologia educacional no processo de formação de enfermeiros. Cinergis, 18(3), 181-185. https://doi.org/10.17058/cinergis.v18i3.8865.

Salbego, C., Nietsche, E.A., Teixeira, E., Nara M.O., Wild, C.F., & Ilha, S (2018). Care-educational technologies: an emerging concept of the praxis of nurses in a hospital context. Revista Brasileira De Enfermagem, 71(6), 2666-2674, https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0753.

Silva, D.M.L., Carreiro, F.D.A., & Mello, R. (2017). Tecnologias educacionais na assistência de enfermagem em educação em saúde. Revista Enfermagem Ufpe, 11(2), 1044-51. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v11i2a13475p1044-1051-2017.

Souza, A.D.D., & Menezes, M.F.B (2009). Diagnósticos de enfermagem em pacientes neurocirúrgicos oncológicos: subsídios para a informatização do processo de enfermagem. Revista Brasileira De Cancerologia, 55(3), 303-309. https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2009v55n3.1617

Souza, A.S., & Valadares, G.V (2011). Desvelando o saber/ fazer sobre diagnósticos de enfermagem: experiência vivida em neurocirurgia oncológica. Revista Brasileira de Enfermagem, 64(5), 890-897, http://dx.doi.org/10.1590/s0034-71672011000500014.

Souza, V.L.S.N., Silva, R.A.R., Silva, I.A., Alves, R.R.B., Silva, F.S., & Abrantes, R.M. (2018). Árvore de decisão para o diagnóstico de enfermagem: falta de adesão em pessoas vivendo com aids. Revista De Enfermagem Do Centro-Oeste Mineiro, 2609(8), 1-8. http://dx.doi.org/10.19175/recom.v7i0.2609.

Teixeira, E. (2017). Desenvolvimento de tecnologias cuidativo-educacionais. Moriá.

Teixeira, E. (2010). Tecnologias em enfermagem: produções e tendências para a educação em saúde com a comunidade. Revista Eletrônica De Enfermagem, 12(4), 598-600. https://doi.Org/10.5216/Ree.V12i4.12470.

Tomazini, E.A.S (2017). Desenvolvimento e avaliação de curso on-line sobre suporte avançado de vida em parada cardiorrespiratória para enfermeiro. [Dissertação mestrado Programa De Pós-Graduação em gerenciamento em Enfermagem da escola de Enfermagem].

Zocche, D.A.A., Zanatta, E.A., Adamy, E.D., Vendrusculo, C., Trindade, L.M (2020). Protocolo para revisão integrativa: caminho para a busca de evidências. In. Teixeira., E (Org.) Desenvolvimento de tecnologias cuidativo-educacionais (237-250). Moriá.

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

Edlamar Kátia Adamy, Patricia Poltronieri, & Elisangela Argenta Zanatta. (2022). Tecnologias para o Raciocínio Clínico do Enfermeiro: Revisão Integrativa . New Trends in Qualitative Research, 13, e669. https://doi.org/10.36367/ntqr.13.2022.e669