Eficácia da Reabilitação na mobilidade, prevenção e diminuição do risco de queda em doentes com Parkinson

Autores

  • Ricardo Loureiro Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, Portugal
  • Rosa Martins Departamento de Enfermagem de Reabilitação da ESSV, Portugal
  • Joana Bernardo Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, Portugal
  • Susana Batista Departamento de Enfermagem de Reabilitação da ESSV, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.163-171

Palavras-chave:

Doença de Parkinson, Imobilização, Acidentes por Quedas, Enfermagem em Reabilitação

Resumo

Introdução: O doente com Parkinson apresenta frequentemente alterações na postura, diminuição da mobilidade e um maior risco de incidência de quedas. Objetivos: Avaliar a eficácia de programas de Reabilitação na melhoria da mobilidade, na prevenção e diminuição do risco de queda em doentes com Parkinson.Métodos: Utilizando a estratégia PICO, realizou-se uma Revisão Integrativa no período temporal 2012-2019. O corpus do estudo integrou 7 estudos primários, resultantes de pesquisa em bases de dados nacionais e internacionais. Seguiram-se os princípios propostos pela Cochrane Handbook. Resultados: Ficou demonstrada a eficácia dos planos de Reabilitação na melhoria da mobilidade e no risco de queda dos doentes. Os protocolos de intervenção de Enfermagem de Reabilitação devem incluir para além dos exercícios clássicos (treinos de marcha, de equilíbrio e correção postural), exercícios de estimulação propriocetiva, recurso à Realidade Virtual e intervenções tecnológicas. Conclusões: Os programas de Reabilitação instituídos nos doentes com Parkinson mostraram-se eficazes, contudo a introdução de novas estratégias de intervenção pode aumentar significativamente melhorias na saúde dos doentes.

Referências

Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson. (2019). Manual para pessoas com Parkinson. https://apdpk298646906.files.wordpress.com/2019/11/parkinson-manual__pt.pdf

Barbosa, E. R., & Melo, L. M. (2007). Importância das manifestações não motoras da doença de Parkinson. Revista Neurociências, 15, 51-60. http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2007/RN%2015%2001/Pages%20from%20RN%2015%2001-8.pdf

Bekkers, E. M. J., Dockx, K., Heremans, E., Vercrruysse, S., Verschueren, S. M. P., Mirelman, A., & Nieuwboer, A. (2014). The contribution of proprioceptive information to postural control in elderly and patients with Parkinson’s disease with a history of falls. Frontiers in Human Neuroscience, 8, 1-9. doi: doi.org/10.3389/fnhum.2014.00939

Carneiro, A. V. (2008). Como avaliar a investigação clínica: O exemplo da avaliação crítica de um ensaio clínico. Jornal Português de Gastrenterologia, 15(1), 30-36. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782008000100007&lng=pt&tlng=pt

Ferrazzoli, D., Ortelli, P., Zivi, I., Veronica, C., Urso, E., Ghilardi, M., … Frazzitta, G. (2018). Efficacy of intensive multidisciplinary rehabilitation in Parkinson’s disease: A randomised controlled study. Journal of Neurology, Neurosurgery and Psychiatry, 89, 828-835. doi: 10.1136/jnnp-2017-316437

Instituto Nacional de Estatística. (2019). Causas de morte 2017. Lisboa, Portugal: INE.

Joanna Briggs Institute (2015). The Joanna Briggs Institute reviewers’ manual 2015: Methodology for JBI scoping reviews. http://joannabriggs.org/assets/docs/sumari/Reviewers-Manual_Methodology-for-JBI-Scoping- -Reviews_2015_v2.pdf

Kwok, J. Y. Y., Kwan, J. C. Y. K., Auyeung, M., Mok, V. C. T., & Chan, H. Y. L. (2017). The effects of yoga versus stretching and resistance training exercises on psychological distress for people with mild-to-moderate Parkinson´s disease: Study protocol for a randomized controlled trial. Trials, 18, 1-13. doi: 10.1186/s13063-017-2223-x

Liao, Y. Y., Yang, Y. R., Cheng, S. J., Wu, Y. R., Fuh, J. L., & Wang, R. Y. (2015). Virtual reality–based training to improve obstacle-crossing performance and dynamic balance in patients with Parkinson’s disease. Neurorehabilitation and Neural Repair, 29(7). doi: 10.1177/1545968314562111

Lizon, K., Cholewa, J., & Uher, I. (2017). Influence of physical rehabilitation on social networks and quality of life among people with Parkinson´s disease. Journal of Physical Education and Health, 10, 35-42. http://cejsh.icm.edu.pl/cejsh/element/bwmeta1.element.desklight-e98e13fc-20ea-4078-b8a7-3a7471dbb548

Luz, K. P. S., & Coronago, V. M. M. O. (2017). A doença de Parkinson na pessoa idosa e a relação com sua qualidade de vida. Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 11(35), 116-136. doi: 10.14295/idonline.v11i35.720

Martins, R., Figueiredo, A., Andrade, A., Albuquerque, C., & Martins, C. (2018). Investimento na vida pessoal em idosos institucionalizados. Revista de lnvestigação & lnovação em Saúde, 1(1), 7-15. doi: 10.37914/riis.v1i1.24

Nielsen, M. B., Santos, Y. F., Gering, E., & Sant'Ana, J. E. (2018). Sinais prodrómicos na doença de Parkinson: Prevalência da constipação intestinal. http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.php/cadernos-educacao-saude-fisioter/article/view/1944

Rocha, L. S. O., Mineshita, N. H., Sobral, L. L., Santos, M. C. S., & Rocha, R. S. B. (2017). Influence of global postural reeducation method on respiratory muscle strenght and parkinsonian quality of life. Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal, 15. doi:10.17784/mtprehabjournal.2017.15.504

Santos, A. R. S. (2018). Sintomas não motores na doença de Parkinson: Estudo qualitativo exploratório [Dissertação de mestrado]. Universidade de Lisboa, Portugal.

Santos, V. V., Araújo, M. A., Nascimento, O. J. M., Guimarães, F. S., Orsini, M., & Freitas, M. R. G. (2012). Effects of a physical therapy home-based exercise program for Parkinson’s disease. Fisioterapia e Movimento, 4(25), 709-715. doi: 10.1590/S0103-51502012000400003

Shen, X., & Mak, M. K. Y. (2015). Technology-assisted balance and gait training reduces falls in patients with Parkinson’s disease: A randomized controlled trial with 12-month follow-up. Neurorehabilitation and Neural Repair, 29, 103-111. doi: 10.1177/1545968314537559

Silva, L. P., Duarte, M. P. S., Souza, C. C. B., Lins, C. C. S. A., Coriolano, M. G. W. S., & Lins, O. G. (2019). Efeitos da prática mental associada à fisioterapia motora sobre a marcha e o risco de quedas na doença de Parkinson: Estudo piloto. Fisioterapia e Pesquisa, 2, 112-119. doi: 10.1590/1809-2950/17012926022019

Sousa, A.S., Lopes, K. L., Fragnani, S. G., Nery, T., Werner, E., Bezerra, P. P. (2017). Physiotherapy associated with yoga and musicotherapy in parkinson's disease: clinical trial. Rev Bras de Neurol. 53(3): 31-40, 2017 https://docs.bvsalud.org/biblioref/2017/12/876875/rbn-533-4-fisioterapia-associada-a-yoga.pdf

Tan, S. B., Williams, A. F., & Kelly, D. (2014). Effectiveness of multidisciplinar interventions to improve the quality of life for people with Parkinson´s disease: A systematic review. International Journal of Nursing Studies, 51(1), 166-174. doi: 10.1016/j.ijnurstu.2013.03.009

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Ricardo Loureiro, Rosa Martins, Joana Bernardo, & Susana Batista. (2021). Eficácia da Reabilitação na mobilidade, prevenção e diminuição do risco de queda em doentes com Parkinson. New Trends in Qualitative Research, 8, 163–171. https://doi.org/10.36367/ntqr.8.2021.163-171